Equipe que fez “pare e siga” em trecho com curva no km-554 da entre e Jaraguari, irá passar por reciclagem. Nas imagens mostram que quase acontece colisão frontal entre carretas no local, já que o motorista de um dos caminhões viu o “pare e siga” de forma repentina após a curva e teve que invadir a pista contrária para frear e conseguir parar a carreta.

O motorista e professor Fábio Rodrigo de Oliveira da Silva, de 47 anos conta que foi ele quem fez o vídeo na última às 17h22 da última terça-feira (16). Fábio relata que estava parado no “pare e siga” com seu Sandero, quando gravou e narrou o momento em que as carretas quase colidem. “Eu gravei o vídeo, eu parei no pare e siga falei para o bandeirinha sair do lugar onde ele estava porque ia matar a gente, onde estávamos, ele estava depois da curva”, diz Fábio.

Leia a nota abaixo:

A informa que a situação ocorrida no km 554 da BR-163/MS, envolvendo um prestador de serviço, foi identificada por uma equipe de inspeção de tráfego da Concessionária, que realizou abordagem aos colaboradores da empresa terceirizada, de modo a ajustar a sinalização no local, zelando pela segurança dos trabalhadores e dos usuários da rodovia. Além disso, toda a equipe do prestador de serviço foi convocada para um treinamento de reciclagem, realizado nesta quarta-feira, para aperfeiçoar o trabalho na pista.

VÍdeo:

O vídeo começa com o narrador indignado com a empresa terceirizada sobre a decisão de realizar um pare-e-siga em uma curva na rodovia. “Olha que irresponsabilidade, olha o tamanho da fila dos carros e os caras param na curva, olha o pare-e-siga como está curva. Olha a carreta, como uma carreta para? Olha a m***a”, descreve.

Nesse momento, aparece um caminhão branco na mesma pista em que os carros estão estacionados. O motorista desacelera, mas joga o veículo na contramão para não causar uma colisão.

O narrador vira o celular em direção ao outro lado da rodovia e mostra outra carreta no mesmo lado da pista em que a primeira entrou na contramão. A segunda carreta desacelera e para a metros de distância do outro caminhão.

“Como que para na curva? Dois caminhões tanques iam bater de frente agora e como os caras fazem um pare-e-siga na curva?”, questiona novamente. (Alterada para acréscimo de informações)