Polícia / Trânsito

Polícia investiga se motorista que matou dois e morreu na BR-262 dormiu ao volante

Polícia também analisa se carro estaria sendo levado para a Bolívia

Thatiana Melo Publicado em 07/06/2021, às 11h20

None

A polícia investiga se Gabriel Silva de Almeida, de 25 anos, que morreu em um acidente ao bater o Jeep Renegade que conduzia em uma Toyota Hilxux, na BR-262 em Corumbá a 444 quilômetros de Campo Grande teria dormido ao volante. No acidente também morreram Matheus Gonçalves Moussa, de 8 anos, e o fisioterapeuta da Cassems, José Roberto Segrilho Faker, de 38 anos.

De acordo com o delegado Nicson Lenon Cruz da 1º Delegacia de Corumbá ainda se espera pelos laudos da perícia, mas acredita-se que Gabriel estaria em alta velocidade pelo estrago causado e como ficaram os carros. A suspeita é de que Gabriel tenha dormido ao volante.

Ainda segundo o delegado não se sabe os motivos para a viagem de Gabriel que era morador do estado de São Paulo. Não se sabe se o carro seria levado para a Bolívia. O inquérito tem 30 dias para ser concluído.

Matheus estava no veículo Toyota Hilux com o pai, Jansen e o fisioterapeuta José Roberto, conhecido como Bita, quando ocorreu a colisão frontal com o Jeep Renegade. A criança e José Roberto ficaram presos entre ferragens e morreram no local. O motorista do Jeep, Gabriel Silva de Almeida, de 25 anos, também ficou preso entre as ferragens e morreu antes de ser socorrido.

Jansen foi socorrido pelo Corpo de Bombeiros e encaminhado à Santa Casa de Corumbá, onde passou por cirurgia no abdômen e foi encaminhado ao CTI (Centro de Terapia Intensiva). Seu quadro é estável, segundo médicos.

O acidente ocorreu a 100 quilômetros do perímetro urbano de Corumbá, próximo ao posto fiscal Buraco das Piranhas, no km-674 da BR-262, por volta das 7h40 de sábado (5).

Jornal Midiamax