Polícia / Trânsito

Após acidente, amigos deixam mensagens de apoio à jovem que perdeu o braço

Amigos da acadêmica de engenharia da computação Gabrielli Pinheiro Machado Guenka, de 21 anos, deixaram diversas mensagens de apoio e melhoras no Facebook da jovem, que sofreu um acidente na madrugada desta quinta-feira (19).  Deus do céu, força pra você! Você sabe que tenho um carinho enorme por você e era sempre tão bom te […]

Arquivo Publicado em 19/06/2014, às 18h35

None
194592311.jpg

Amigos da acadêmica de engenharia da computação Gabrielli Pinheiro Machado Guenka, de 21 anos, deixaram diversas mensagens de apoio e melhoras no Facebook da jovem, que sofreu um acidente na madrugada desta quinta-feira (19). 


Deus do céu, força pra você! Você sabe que tenho um carinho enorme por você e era sempre tão bom te encontrar nos corredores da federal, agora soh fico lá do outro lado e não te encontro mais… Mas o que precisar to aqui, como amiga, como acadêmica de med, se precisar de qlqr ajuda, apoio, qlqr coisa q precisar, qlqr contato, pode contar comigo! Muita força!!!!


Que pai maior Deus esteja com vc e com sua familia..que os anjos no nosso Deus te proteja …em oraçao pra sua recuperaçao amem


Minha Bibizinha, meu coração apertou quando vi sua reportagem, meus pais estão em Bauru e me ligaram super preocupados com vc, to passando aqui não só pra te dar forças, mas para dizer que minhas orações estão voltadas para você, sei que os últimos dias não tem sido fáceis, mas estou aqui para o que você precisar, te amoo minha pequenininha!!


Já os perfis em redes sociais da amiga de Gabrielli, Célia Caroline Oliveira, a “Celinha” foram bloqueados e somente amigos podem ver.


Acidente


Gabrielli e a amiga Célia havia saído de uma festa em uma casa noturna sertaneja localizada na Avenida Afonso Pena, no Jardim dos Estados, na madrugada desta quinta-feira (19), às 4 horas, antes de se envolver em um grave acidente.

Após o acidente, equipes da BPTran (Batalhão de Policiamento de Trânsito) estiveram no local e constataram que a condutora estava em estado visível de embriaguez. Entretanto, Célia, que teve apenas arranhões, alegou que não havia ingerido bebida alcoólica, porém se recusou a fazer o teste do etilômetro.

Ela foi encaminhada à Depac do Centro, onde está detida. A princípio o caso foi registrado como conduzir veículo automotor com capacidade psicomotora alterada e lesão corporal culposa, sem intenção, na direção de veículo automotor.



Jornal Midiamax