Polícia / Trânsito

Mesmo com acidentes, faixa de pedestres perto da prefeitura deve continuar

Mais um acidente foi registrado na tarde desta segunda-feira (08) na faixa de pedestres em frente à prefeitura de Campo Grande, na avenida Afonso Pena. Uma pedestre foi atropelada em cima da faixa por Sebastião de Araújo, de 53 anos. Apesar da quantidade de acidentes registrados sempre no mesmo local, a Ciptran informou que a […]

Arquivo Publicado em 08/10/2012, às 17h44

None
2112023461.jpg

Mais um acidente foi registrado na tarde desta segunda-feira (08) na faixa de pedestres em frente à prefeitura de Campo Grande, na avenida Afonso Pena. Uma pedestre foi atropelada em cima da faixa por Sebastião de Araújo, de 53 anos. Apesar da quantidade de acidentes registrados sempre no mesmo local, a Ciptran informou que a faixa deve permanecer lá.


Nesta tarde, Sebastião Araújo seguia em um Cruze placas NRS 9766 quando atropelou uma mulher que passava. Segundo a filha dele, Sabrina Bento de Araújo, de 27 anos, que estava com a filha de dois meses no colo, o pai desceu do carro para socorrer a pedestre e foi espancado pelo marido da vítima.


“Ele seguia devagar quando ela passou correndo e não sinalizou que ia atravessar. Meu pai parou em cima e ela apenas caiu no chão, não foi nada grave, mais o susto mesmo. Mas o marido dela já chegou espancando meu pai, que foi chutado na coluna e levou vários socos na cara. Eu também fui empurrada ao tentar separar”, relatou a auxiliar de enfermagem.


Após bater no motorista, o rapaz foi contido por uma pessoa que passava até a chegada dos policiais. Ele, que não quis se identificar, mas relatou que se não segurasse o marido da atropelada, que é frentista do posto de gasolina próximo do acidente, ele bateria ainda mais no motorista.
O comandante da Ciptran (Companhia Independente de Policiamento de Trânsito) Alírio Vilassanti informou que a polícia não cuida da engenharia do trânsito, mas que a faixa no lugar não está causando confusão.


“Quem cuida da sinalização é a Agetran e eu vejo sempre fiscais lá orientando o trânsito, mas o problema não é esse. A velocidade permitida na Afonso Pena é de 60 km/h. Se as pessoas respeitassem o limite daria tempo para diminuir a velocidade na faixa e deixar os pedestres atravessarem. Estamos na quarta etapa da campanha de conscientização e ainda vemos essas coisas acontecerem, opinou”.

Jornal Midiamax