Os sequestradores planejavam roubar até R$ 500 mil do comerciante vítima do sequestro ocorrido em uma casa de festas no Villagio Vitória, região do Portal Caiobá, em Campo Grande, na manhã de quinta-feira (4). Outras duas vítimas, que acompanhavam o comerciante, também foram feitas refém. 

Conforme o delegado da Depac Cepol, Felipe Paiva, o comerciante prestou depoimento na e contou que possui uma loja de aparelhos celulares no camelódromo e, no mês passado, realizou uma compra de celulares com uma mulher, cujo nome seria Maria. Como a compra deu certo, neste mês de janeiro, eles negociaram uma segunda negociação.

Esta segunda compra seria de aproximadamente 600 aparelhos celulares, no valor de R$ 400 mil a R$ 500 mil. Ficou combinado que a vítima daria uma entrada de R$ 200 mil e iria até a casa de festas para efetuar a compra.

Quando o comerciante chegou na casa, a mulher não estava no local, e, sim, dois homens armados. A começou a fazê-los de refém, onde foram extorquidos e agredidos. A vítima estava com a intenção de negociar o valor de entrada e, por isso, tinha apenas R$ 16 mil na conta bancária. Durante as agressões e o cárcere, o comerciante acabou transferindo o valor aos sequestradores.

 “Eles acharam que iam levar os R$ 200 mil, que era o dinheiro da entrada, mas a vítima não tinha levado. Ele – o comerciante – foi com a intenção de negociar também a entrada, então acabou nem levando o dinheiro. E durante a situação, ele tinha R$ 16 mil na conta e eles – suspeitos – obrigaram a transferir via PIX para a conta de uma terceira pessoa”, explica o delegado.

O caso deve ser encaminhado para ser investigado por equipe da Derf (Delegacia Especializada de Roubos e Furtos).

O sequestro

O comerciante chegou à residência às 7 horas de ontem (4). A vítima foi recebida por um rapaz, que pediu que estacionasse a Hilux que conduzia na garagem. Ele e os dois homens que o acompanhavam foram rendidos por outros dois armados. 

Eles foram levados para um quarto e tiveram seus pés e mãos amarrados. Assim, foram obrigados a realizar transferências bancárias para o grupo.

Em determinado momento, a dona do espaço chegou e quando os suspeitos saíram para atender a proprietária, as vítimas se trancaram no quarto para dificultar o acesso dos suspeitos.

Após atenderem a dona do local, um dos autores atirou na porta a fim de tentar entrar no quarto. O tiro atingiu a parede dos fundos do quarto. Mais tarde, a dona da casa encontrou as vítimas e acionou a Polícia Militar.

Sequestrador morreu durante confronto 

Durante a ocorrência, houve um confronto com o Batalhão de Choque da e um dos suspeitos, identificado como Geovane Ferreira de Lima, 27 anos, foi morto. Outros dois autores, um homem e a mulher – que locou o espaço de festas – foram presos em flagrante

Todos os autores têm passagem pela polícia. Cinco armas de fogo, porções de drogas e uma quantia em dinheiro foram apreendidas na residência.