Os três sequestradores que renderam os três homens no Villágio Vitória, na região do Portal Caiobá, em , no início da manhã desta quinta-feira (4), foram autuados pela PM (Polícia Militar) por associação criminosa.

Um dos sequestradores, identificado como Geovane Ferreira de Lima, 27 anos, morreu durante confronto com o Batalhão de Choque da Polícia Militar no início da tarde na Rua dos Meninos, no Vida Nova. Uma mulher, responsável pela locação da casa, e um homem, que rendeu as vítimas, juntamente com Geovane, foram presos. Cinco armas de fogo, porções de drogas e uma quantia em foram apreendidas na residência.

Conforme o subcomandante do , Major Anderson, os três já possuem passagens pela polícia e estão sendo autuados pela Polícia Militar pelo crime de associação criminosa. 

“De fato houve um conluio ali entre eles para poder, tanto a locação e utilização do espaço, atrair as vítimas até o local onde eles foram rendidos”, explicou.

Além disso, ele não descarta que mais pessoas possam estar envolvidas no sequestro. “Parece que há outras pessoas envolvidas também que nós estamos diligenciando e iremos passar as informações a Polícia Civil para dar os demais prosseguimentos as diligências”, afirmou o subcomandante.

Sequestro

Uma das vítimas do sequestro é um homem, dono de algumas lojas de celulares na região do Camelódromo. Ele havia negociado a venda de aparelhos com uma moradora de em um de seus estabelecimentos recentemente. 

Nessa quarta-feira (3), uma mulher entrou em contato com ele e combinou o local – a casa de festas – para entregar os aparelhos. O homem chegou à residência às 7 horas desta quinta-feira (4), onde foi recebido por um rapaz, que pediu que estacionasse a Hilux que conduzia na garagem.

Ao descer da garagem, a vítima – que estava acompanhada de dois homens – foi rendida por outros dois armados. Eles foram levados para um quarto e tiveram seus pés e mãos amarrados. Neste momento, a dupla passou a exigir dinheiro e a vítima – proprietária da loja de celulares que negociou a venda – disse que não tinha e começou a ser agredida, juntamente com as outras duas, a coronhadas, chutes, socos e sendo ameaçadas de morte.

Conforme o boletim de ocorrência, a vítima então acabou transferindo via PIX o valor de R$ 16 mil em nome de uma mulher. Os sequestradores exigiram mais dinheiro, porém foram informados pela vítima que não tinha mais e as agressões continuaram. 

Em certo momento, uma pessoa chegou a casa e os sequestradores foram atendê-la. Com isso, as vítimas conseguiram se livrar das amarras e, quando os sequestradores retornaram, elas conseguiram fechar a porta com um sofá. 

Os sequestradores saíram da casa de festas sem levar a e os aparelhos celulares. As vítimas acionaram a polícia, que se deslocou até a residência e as encontrou, com lesões na cabeça devido às coronhadas que sofreram.

Uma das vítimas com lesões na cabeça após sofrer coronhadas. (Foto: Reprodução, Batalhão de Choque)