Passados quase 10 dias, o caso dos furtos dos corpos de uma adolescente e também de um bebê no Cemitério Municipal São Vicente de Paula, em Ponta Porã, na fronteira com Pedro Juan Caballero, no Paraguai, segue sem desfecho. Agentes da Polícia Civil voltaram ao local do crime e seguem com as investigações.

“Infelizmente ainda temos novidades sobre o caso. Esse final de semana fomos no local e ontem conversamos novamente com alguns funcionários. Mas ainda não temos informações para repassar”, explica a delegada titular da 1ª Delegacia de Polícia Civil, Elisangela Ferreira Cristaldo, à reportagem do Jornal Midiamax.

Ainda conforme as informações da polícia, a localização dos suspeitos pelo crime é um desafio. Isso porque se trata de um crime pouco comum, com ocorrências mais frequentes em Pedro Juan Caballero. Equipes do SIG (Setor de Investigações Gerais) também atuam na investigação.

Reforço na segurança

Após a instalação de inquérito administrativo para apurar responsabilidade durante o furto de corpos, a prefeitura anunciou reforço policial na região. Assim como outras providências voltadas para a melhoria da segurança no Cemitério Municipal São Vicente de Paula.

Portanto, entre as medidas já adotadas, como a demissão do vigia, a administração municipal também está ouvindo os funcionários do cemitério que trabalham durante o dia.

Além disso, segundo informações apuradas pela reportagem do Jornal Midiamax em conversas com representantes das secretarias de segurança e também de governo, a prefeitura anuncia a instalação de cercas de contenção e possivelmente de câmeras no local.