O motorista de aplicativo, de 42 anos, que foi roubado e mantido em cárcere por 6 horas em Corumbá, na fronteira do Brasil com a Bolívia, distante 429 quilômetros de Campo Grande, teve seu veículo Chevrolet Prisma devolvido na tarde desta terça-feira (26).

O homem foi alvo de quatro bandidos na madrugada do dia 10 de março enquanto estava trabalhando em . Ele foi levado para a Bolívia, onde ficou em cárcere em uma casa na cidade de Porto Quijarro e liberado horas depois.

O veículo foi recuperado pela Diprove (Direção de Prevenção a Roubo de Veículos) de Puerto Suárez, Bolívia, logo depois que o motorista de aplicativo procurou a delegacia de para registrar boletim de ocorrência.

‘Tinha certeza que ia morrer’

A esposa da vítima, uma enfermeira, de 32 anos, conversou com a reportagem do Jornal Midiamax e relatou que o motorista passou por momentos de muita tensão na madrugada do dia 10. “Ele chorou muito, disse que tinha certeza que ia morrer”, contou a mulher. 

Ela acrescentou que o esposo continua em estado de choque com toda a situação, garantiu que ele está recebendo todo o apoio da família, porém não quer que o mesmo volte a trabalhar como motorista de aplicativo. 

Por fim, a enfermeira agradeceu o trabalho das autoridades policiais que conseguiram recuperar o veículo. “Agradeço a polícia por ter trabalhado e dado atenção ao caso, identificando os sequestradores e principalmente ao trabalho da polícia de trânsito que ajudou bastante”.

Recuperação de veículo na fronteira

De junho de 2023 até esta terça-feira (26), a polícia boliviana, em conjunto com a polícia brasileira, devolveu 20 veículos ao Brasil. O Cônsul da Bolívia em Mato Grosso do Sul, Sinons Duram, ressaltou a importância do trabalho da polícia. 

“Esse trabalho de recuperação de veículos em tempo recorde é um trabalho extraoficial dos policiais que devolvem os veículos brasileiros que chegam a Bolívia. É um trabalho que vem sendo feito continuamente na fronteira sem custo algum aos países envolvidos”.

(Nathalia Alcântara, Midiamax)

Roubo e cárcere 

O motorista foi surpreendido por um grupo de bandidos na madrugada de domingo (10). Ele estava aguardando corridas em frente a uma casa de eventos quando quatro homens lhe pediram uma . No trajeto, um deles desceu e três ficaram no carro, momento em que se iniciou a ação criminosa. 

Os ladrões ameaçaram a vítima com facas e armas, colocaram-na no banco de carona e abaixaram o assento. Quando o motorista de aplicativo percebeu, estava na Bolívia.

Os criminosos passaram a tentar vender o carro no país vizinho, enquanto a vítima ainda estava no veículo. Ele foi mantido em cárcere privado em uma residência boliviana e liberado horas depois, assim como o carro.

A ação durou cerca de 6 horas. A vítima começou a passar mal e foi levada a uma residência ‘humilde’, onde ficou em um quarto escuro e com apenas uma cama. 

Neste tempo, relata que um dos criminosos o ameaçava de morte, enquanto o outro repreendia o comparsa e afirmava que “não, era para esperar”.

Por volta das 6 horas da manhã, foi colocado novamente no carro e levado até Puerto Quijarro, onde venderam o veículo a um boliviano às 8h30. Após a venda, o motorista de aplicativo foi colocado em um mototáxi, seguido pelos assaltantes, e levado de volta para a fronteira. Os criminosos devolveram os pertences pessoais da vítima, como aparelho celular, carteira e documentos.

O caso foi registrado como extorsão mediante na Polícia Civil de Corumbá.

(Nathalia Alcântara, Midiamax)