Um motorista de aplicativo de 42 anos foi rendido por um grupo de assaltantes armados, em Corumbá, a 444 quilômetros de Campo Grande, e levado para a Bolívia na madrugada do último domingo (10) durante o roubo de seu veículo Chevrolet Prisma.

Os bandidos tentaram vender o carro do motorista no país vizinho enquanto a vítima ainda estava no veículo. Ele foi mantido em cárcere privado em uma residência boliviana e liberado horas depois, assim como o carro.

Conforme entrevista cedida ao Diário Corumbaense, o condutor explicou que aguardava por corrida, na Rua José Fragelli, esquina com a Alameda Laura Martins Pinheiro, quando os quatro criminosos solicitaram a corrida. Em determinado momento, um deles desceu e, então, o grupo iniciou o assalto.

Os ladrões ameaçaram a vítima com facas e armas, colocaram-na no banco de carona e abaixaram o assento. Quando o motorista de aplicativo percebeu, estava na Bolívia.

Os criminosos passaram a tentar vender o carro. A ação durou cerca de 2 horas, até aproximadamente 4 horas. A vítima começou a passar mal e foi levada a uma residência ‘humilde’, onde ficou em um quarto escuro e com apenas uma cama. Neste tempo, relata que um dos criminosos o ameaçava de morte, enquanto o outro repreendia o comparsa e afirmava que “não, era para esperar”. 

Por volta das 6 horas da manhã, foi colocado novamente no carro e levado até Puerto Quijarro, onde venderam o veículo a um boliviano às 8h30. Após a venda, o motorista de aplicativo foi colocado em um mototáxi, seguido pelos assaltantes, e levado de volta para a fronteira. Os criminosos devolveram os pertences pessoais da vítima, como aparelho celular, carteira e documentos.

Em Corumbá, o motorista procurou a Delegacia de Polícia Civil, onde o caso foi registrado como extorsão mediante sequestro. O veículo foi recuperado pela Diprove (Direção de Prevenção a Roubo de Veículos) de Puerto Suárez, Bolívia.