Um homem de 23 anos foi indiciado pela Derf (Delegacia Especializada em Repressão a Roubos e Furtos) por falsa comunicação de crime de estupro e roubo majorado por restrição de liberdade, em Campo Grande. Segundo a polícia, ele procurou a delegacia alegando ter sido vítima de estupro e roubo majorado por restrição de liberdade.

No registro do boletim de ocorrência, de 19 de maio do ano passado, o homem falou que foi roubado e estuprado por outros três homens. Na época, ele relatou que por volta da meia-noite, quando voltava do trabalho, foi abordado em via pública por um assaltante que o rendeu com uma arma de fogo e o obrigou a acompanhá-lo até uma casa abandonada.

Na suposta casa, estariam dois outros homens que o estupraram e roubaram seu aparelho celular. Durante as investigações, ele acabou confessando que mentiu ter sido vítima dos crimes para “sensibilizar” a ex-mulher a reatar o casamento.

Após investigações preliminares, a Polícia Civil verificou inconsistências nas informações sobre o suposto crime e intimou o homem para prestar mais informações sobre o fato. Depois de três intimações não atendidas, a suposta vítima compareceu à Especializada, onde ainda tentou sustentar a existência do crime, contudo, acabou por confessar que mentiu.

A investigação foi concluída e o autor indiciado por falsa comunicação de crime. Durante a consulta, o médico plantonista não constatou qualquer lesão compatível com a história, mas orientou o homem a registrar a ocorrência, o que ele acabou fazendo.