A Polícia Civil prendeu na manhã deste domingo (3), o marido de Gisely Duarte Galeano, de 35 anos, acusado da morte da mulher que estava grávida. Ele estava foragido e foi preso em Bela Vista por equipes do SIG (Seção de Investigações Gerais).

Ele foi preso e levado para a delegacia e responderá pelos crimes de qualificado e majorado pela gravidez e aborto provocado por terceiro. Gisely morreu no dia 28 de fevereiro depois de ser levada para o hospital pela irmã.

As primeiras agressões teriam acontecido no dia 2 de fevereiro e logo depois o acusado fugiu para Bela Vista. “No entanto, como ela disse que ia denunciá-lo, ele foi embora para Bela Vista. No dia 5 de fevereiro, ela conseguiu registrar a ocorrência, mas não quis solicitar medidas protetivas. Na ocasião ela suspeitava que estava grávida, mas não tinha certeza”, diz uma nota divulgada pela PC.

Ainda segundo informações policiais, no dia 18 de fevereiro, o autor manteve contato com ela. Assim, a mulher foi até Bela Vista atrás dele. “Ela sofreu uma série de agressões nesse dia e retornou para Ponta Porã lesionada e foi para a casa e não contou nada para ninguém”, diz nota.

No dia 19, os familiares dela foram até a casa dela, mas ela os atendeu apenas com o portão entreaberto, não os deixando entrar. A irmã ficou preocupada, tentou contato, porém ela não atendeu às ligações e nem respondeu às mensagens.

No dia 20, a irmã voltou novamente na casa dela e conseguiu entrar, encontrando a vítima deitada no sofá reclamando de fortes dores abdominais e então foi levada pela irmã até o hospital Cassems, onde foi constatado o aborto em decorrência das lesões sofridas.

Além disso, foi constatado um derrame encefálico, sendo encaminhada imediatamente para a cidade de Dourados, onde ficou internada no Hospital Cassems de lá. A morte de Gisely Duarte Galeano foi confirmada pela irmã no dia 28 de fevereiro.

Em nota, o advogado de defesa do marido da vítima, Welerson Cezar de Oliveira, alega que o mesmo apresentou-se, de forma espontânea, na delegacia, onde foi interrogado e negou todos os fatos. Confira a nota na íntegra:

“Na data de hoje, 3 de março de 2.024, a Delegacia de Polícia Civil de Bela Vista/MS, deu cumprimento a Mandado de Busca e Apreensão na residência de F.C.D., acusado supostamente do delito de Homicídio Qualificado. Em que pese o cumprimento do referido mandado, nada que desabonasse a conduta do suposto autor fora encontrado na residência deste. Simultaneamente ao cumprimento do mandado de busca e apreensão na residência, o acusado apresentou-se, DE FORMA ESPONTÂNEA, juntamente com seu advogado, na Delegacia de Polícia desta cidade, onde foi cumprido o Mandado de Preventiva seguido do interrogatório do acusado, onde por sua vez, negou todos os fatos ventilados no Inquérito Policial. Em síntese, o acusado nega veemente todas as acusações do Inquérito Policial, diante das provas a serem apresentadas para sustentar sua defesa. Por fim, a defesa informa que assim que tiver acesso a todos procedimentos judiciais e policiais, deverá manifestar no feito”.