Os enteados, de 29 e 39 anos, suspeitos de assassinarem Nelson Oguino, de 74 anos, no último sábado (13), em Aquidauana, ficarão presos. É o que decidiu o Alysson Kneip Duque, durante nesta segunda-feira (15). O mais velho negou o crime e atribuiu a culpa ao mais novo, dizendo, inclusive, que chegou depois na residência e encontrou o idoso machucado.

Os irmãos confessaram à polícia militar, durante o momento da prisão em flagrante, terem matado o padrasto porque o idoso disse que não os queria na casa.

Registro policial aponta que a equipe da encontrou os suspeitos deitados em uma calçada com vestígios de sangue. A dupla contou que foi até a casa da mãe, mas Nelson os atendeu e os expulsou do local.

O irmão mais velho segurou a vítima, enquanto o mais novo desferiu diversas cadeiradas no idoso. O primogênito afirma, ainda, que tentou conter o outro, mas o irmão se desvencilhou, pegou um dos pedaços da cadeira de madeira e continuou as agressões, atingindo a cabeça de Nelson. Depois, desferiram socos e chutes no padrasto.

Os dois fugiram do local e foi a mãe deles, esposa de Nelson, quem encontrou o idoso. O Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência) foi acionado e Nelson, encaminhado para o pronto-socorro. Ele seria transferido para a Santa Casa de em estado grave.

Por volta das 9h25 do domingo (14), a esposa da vítima comunicou à polícia o falecimento do marido.

O irmão mais novo ficou em silêncio durante o depoimento à Polícia Civil, enquanto o mais velho negou as agressões. Ele disse que quem agrediu o idoso foi o mais novo e, quando chegou a casa, encontrou Nelson já machucado.