Uma procurou a Polícia Civil, em Cassilândia, a 430 quilômetros de Campo Grande, para contar que seu irmão havia confessado que tinha assassinado e decapitado o homem que foi encontrado boiando no rio Aporé.

Conforme relato da mulher, o irmão disse que foi ameaçado pela vítima, que havia dado um prazo de 12 horas para ele deixar a cidade, caso contrário seria assassinado, segundo o site MS Todo Dia. Por isso, ele cometeu o crime.

A mulher ainda contou na delegacia que o irmão disse que arrancou a cabeça, fez um corte no peito e jogou o corpo no rio para afundar. A vítima foi reconhecida inicialmente como Robério, de 36 anos.

Corpo sem cabeça em rio

Uma pessoa que encontrou o cadáver estava ‘rodando’ o rio com uma boia quando visualizou o corpo enroscado na outra margem do rio, já pertencente ao estado de , próximo de onde deságua o córrego Cedro.

O salva-vidas, conhecido como Cal, foi acionado e deu apoio para retirar o corpo que estava preso em galhos, levando-o até as margens do rio, para facilitar o da perícia de Paranaíba.

O corpo estava sem a cabeça, com os pés amarrados, não sendo possível constatar se com cinto ou uma calça, e seminu, apenas de cueca.

A polícia civil de MS entrou em contato com a Polícia Civil de Goiás informando sobre o crime.