O da Casa Militar de Mato Grosso do Sul que caiu no fim da manhã de quinta-feira (18), em , é mantido no hangar do Governo no Aeroporto Santa Maria. A aeronave vai ser periciada nos próximos dias.

Ao Midiamax, a delegada Ana Cláudia Medina, do Dracco (Departamento de Repressão à Corrupção e ao Crime Organizado), confirmou que o helicóptero é mantido no hangar. Assim, passa pelo trabalho de perícia, feito pelo Cenipa (Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos).

Ainda segundo a delegada, não existe um prazo definido para conclusão do trabalho, “por causa da complexidade e necessidade de observar várias vertentes”, afirmou Medina.

Militares estavam na aeronave

Conforme a nota oficial do Governo do Estado, o helicóptero estava com quatro servidores, sendo dois pilotos e dois tripulantes e apenas um deles teria sofrido ferimentos leves. Estavam a bordo: dois coronéis – que pilotavam o helicóptero –, um sargento e um subtenente da Casa Militar.

O Jornal Midiamax apurou que um dos coronéis que estava a bordo da aeronave teria sido socorrido com lesão na coluna.

A delegada também afirmou que o acidente foi grave, confirmou a pane no motor, mas ainda é precoce confirmar as causas.

“Nós recebemos relato do comandante de que faziam voo de rotina da unidade que opera a aeronave e que teve uma pane de motor. E para preservar vidas, ele entrou em pouso de emergência, denominado alta rotação e conseguiu trazer a aeronave ao solo sem maiores consequências”, explicou.

Equipes no local do acidente (Ana Laura Menegat, Midiamax)

A aeronave sofreu uma pane no motor e pilonou – quando a aeronave colidiu a parte frontal no solo e ‘capota'. Ela realizava voo semanal de giro, realizado para preservação do equipamento, e estava há 20 minutos no ar, quando sofreu a pane.

“Precisamos aguardar o Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos para que depois conclua os trabalhos da polícia judiciária”, acrescentou.

A aeronave, um Jet Ranger, era do supertraficante Ramirez Abadía. Após operação da PF (Polícia Federal) para apreendê-la, ela foi doada em 2013 ao Governo de Mato Grosso do Sul para combater o crime.

Ainda segundo a delegada do Dracco, o helicóptero não consta como transferido, atualmente ele está apenas sob cautela do Estado de MS.

Além do Dracco, equipes da Polícia Civil estiveram no local, assim como socorristas do e do (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência).