Homem de 63 anos procurou a após ser surpreendido pelo vizinho, que exigiu o corte de folhas de cana-de-açúcar e o tratou de forma ríspida em um bairro nobre de Campo Grande. O comunicante relatou à polícia que estava fazendo a do de seu escritório de advocacia, quando o indivíduo chegou sem se identificar e fez as exigências.

De acordo com o boletim de ocorrência, o vizinho se aproximou na tarde deste domingo (11) “de forma ríspida” e mandou o dono do escritório de advocacia cortar as folhas de cana do terreno. O mesmo vizinho também exigiu que o homem retirasse câmeras de segurança que estão fixadas em um muro da propriedade.

Sem entender nada, o homem de 63 anos pediu que o vizinho se identificasse. Foi quando o mesmo o respondeu com “palavras ásperas” e avisou que iria notificá-lo judicialmente.

Pouco tempo depois, o dono do escritório de advocacia verificou que o vizinho estava dentro de sua propriedade fazendo a limpeza da área verde do quintal.

Assustado com a situação, ele procurou a delegacia afirmando ter documentos e certidão de matrícula que provam que a propriedade é sua. O caso foi registrado como preservação de Direito.

Saiba Mais