Indícios negam que a menina, de 14 anos, tenha se relacionado com o adolescente, de 17, que acabou sendo morto a facadas por cinco homens, em Deodápolis, a 260 quilômetros de Campo Grande, na madrugada de domingo (14).

De acordo com o delegado Anderson Guedes de Farias, responsável pelo caso, o crime pode ter ligação com o crime organizado, visto que um dos suspeitos já havia sido preso por tráfico de drogas e outros eram egressos do sistema prisional.

“Foi um ato de barbárie que pode ter ligação com o crime organizado. A adolescente foi tão vítima quanto o rapaz que morreu. Ela nega o fato de ter se relacionado com o rapaz, assim como a mãe dela também nega o fato. Então, todos os indícios apontam que não houve relacionamento entre eles”, explica o delegado. 

Ainda segundo o delegado, o pai da menina – que teria descoberto o relacionamento e reunido os quatro suspeitos para matar o adolescente – já cumpriu por violência doméstica anteriormente.

Os cinco foram presos temporariamente pelo crime de qualificado pelo motivo torpe com recurso que dificultou defesa da vítima. Todos confessaram o crime. 

Eles passam por audiência de custódia nesta tarde de segunda-feira (15). Após a audiência, será decidido se continuarão presos ou serão liberados. 

O caso continua sendo investigado pela Polícia Civil de .

Relembre o crime

O homem, de 35 anos, ouviu a vítima falar sobre um suposto relacionamento amoroso com sua filha. Segundo a polícia, inconformado com o relacionamento e alegando falsamente que a menina teria sido estuprada, o homem reuniu outros quatro indivíduos, três deles egressos do sistema prisional, e buscaram a vítima na casa dela.

O adolescente foi levado para uma área rural próximo da cidade, onde montaram um ‘tribunal do crime' e mataram o garoto de forma bárbara, com várias facadas no coração e cortando o pescoço.

Pela manhã, um familiar do adolescente, que estava em poder dos criminosos, conseguiu fugir e procurou a polícia relatando o crime. Foram feitas buscas pelo corpo da vítima e perseguição ao grupo criminoso, que foi localizado em menos de quatro horas, inclusive com da arma.