Gilka Simone Nunes, de 47 anos, vítima de feminicídio, foi morta com 8 facadas dadas pelo ex-companheiro, identificado como Daniel. Ela foi encontrada em seu quarto, na casa onde morava na Vila Moreninha III. A maioria dos golpes a atingiram no pescoço. Gilka também foi vítima de golpes na região das costas e tórax.

Após o crime, Daniel foi visto perambulando na BR-163 com marcas de sangue nas mãos e roupa. Equipe da CCR-MS Via foi quem o avistou na rodovia e acionou a PRF (Polícia Rodoviária Federal).

Os policiais rodoviários então o abordaram e realizaram a prisão. Com a detenção do autor, os agentes foram até a casa da vítima e a encontraram já sem vida. A informação é a de que os dois foram casados por cinco anos e estavam em processo de há cinco meses. Porém, Daniel não aceitava o fim do relacionamento.

Familiares relataram que o relacionamento do casal era conturbado e com casos de agressões por parte do autor. “Não foi por falta de avisar, já falamos várias vezes, mas ele ia embora e voltava, não se conformava’, disse uma irmã da vitima.

“Uma Pessoa sorridente que lutava para sobreviver, pessoa trabalhadora que infelizmente se envolveu com pessoa errada”, lamentou um irmão de Gilka. Mesmo com menor número em 5 anos, feminicídio faz uma vítima a cada 15 dias em Mato Grosso do Sul, conforme publicou o Midiamax em agosto deste ano. Além da , equipes da Polícia Civil, Perícia e estão no local.

Saiba Mais