Danilo dos Martins de Souza ficou em silêncio, enquanto Alexsandro Silva Brito negou em julgamento nesta quarta-feira (22) que matou Valdir de Souza de Oliveira, de 35 anos, por ciúmes de uma adolescente no dia 16 de abril de 2021, no Bairro Vida Nova, em Campo Grande. A vítima teve o rosto desfigurado.

Dois investigadores também prestaram depoimento sobre como foi a investigação no dia dos fatos. A adolescente não compareceu em julgamento para prestar depoimento.

Na pronúncia consta que Alexsandro e Danilo mataram Valdir após iniciarem uma discussão com a vítima, que estava com uma adolescente. Na época, havia relatos de que Alexsandro teve um relacionamento com a menina e que teve ciúmes ao vê-la com a vítima.

Em depoimento no Tribunal do , Alexsandro contou que estava com Danilo quando viram a vítima com a menina. Ele nega que teve ciúmes e alegou que a menina é prima de Danilo e também prima de sua irmã. Negou ainda que teve qualquer tipo de relacionamento com a adolescente. “Ela é bem mais nova que eu e é minha prima”, alegou.

Ele disse que agiu após levar uma facada da vítima. “Ela queria vir embora com a gente e ele não deixou, aí começou a discussão”, explicou. No meio da discussão, segundo ele, Valdir teria sacado uma e o golpeou na cabeça, neste momento, Danilo teria desarmado a vítima e a derrubado no chão. “Aí eu peguei uma pedra e soltei na cabeça dele. Explodiu a cabeça e a pedra, aí o Danilo deu dois pulos no peito dele e a gente saiu”, lembra.

Questionado sobre o porquê, mesmo com a vítima caída, teria atirado a pedra, ele afirmou: “Não precisava, mas aconteceu. A gente se arrepende, mas não pode voltar atrás. Infelizmente teve que acontecer. Cada ação tem uma reação”.

Alexsandro tem registros policiais por evasão, cerca de 4 furtos, tentativa de roubo e já foi condenado por roubo.

Uma familiar da vítima acompanha o julgamento. Para ela, está claro a tentativa dos réus de se livrarem. “Cheio de mentiras e controvérsias. Falaram uma coisa na delegacia, outra em juízo e outra hoje”, lamentou.

Alexsandro e Danilo em julgamento nesta quarta-feira (22). (Foto: Mirian Machado, Jornal Midiamax)

Assassinato

A polícia foi acionada por volta das 3 horas da madrugada de sexta (16) depois que uma briga generalizada em uma conveniência na região teria ocorrido. Ao chegar ao local, os policiais encontraram a vítima com muito sangramento na cabeça e no rosto. Um vigilante do bairro encontrou o homem e chamou a PM.

Próximo ao corpo havia várias pedras e tijolos, provavelmente utilizados pelos agressores. Foi solicitado, então, apoio do Corpo de Bombeiros que iniciaram os procedimentos de ressuscitação, mas a vítima morreu no local. 

Saiba Mais