O Hugo Orlando Sánchez Jiménez, mais conhecido como Romário, foi preso na Colômbia, nesse fim de semana. Ele estava na vermelha da Interpol e em mais de 190 países. Hugo era responsável por abastecer a facção criminosa PCC (Primeiro Comando da Capital). 

Segundo informações, Hugo Orlando tinha como responsabilidade coordenar a produção de cocaína na Bolívia, Peru e Colômbia. Toda a droga era enviada à facção criminosa em aviões particulares, segundo o site R7.

Depois que a cocaína chegava a São Paulo, era distribuída via marítima a diversas nações da Europa e África. Hugo já teria distribuído mais de 300 quilos de cocaína ao PCC. A facção está ligada ao assassinato do promotor paraguaio Marcelo Pecci, que aconteceu em 10 de maio de 2022, em praias próximas a Cartagena.

Morte de Marcelo Pecci

Marcelo Pecci foi morto por três tiros, quando estava em lua de mel, em maio deste ano, na Colômbia. Os criminosos estavam em jet skis ao cometerem o crime. A esposa do promotor saiu ilesa. Ele e a esposa esperavam o primeiro filho.

Entre os suspeitos pela contração dos assassinos de aluguel, as investigações direcionaram para quatro pessoas. “Havia um plano para assassinar o procurador Pecci no ou em qualquer país por meio de um acordo entre organizações criminosas internacionais, todos coordenados com o Primeiro Comando da Capital (PCC) do Brasil”, disse Doldán à Rádio Monumental.