O traficante Thiago Firmo Mendes, de 38 anos, morto em um confronto com policiais do Batalhão de Choque neste fim de semana, no Bairro São Conrado, em Campo Grande, guardava cerca R$ 16 milhões em cocaína. Ele já tinha um mandado de prisão expedido pelo mesmo crime.

Ele teria fugido de uma residência acessando a casa do vizinho por uma escada no muro e, ao ver os policiais, teria efetuado dois disparos. Na casa foram encontradas cocaína e maconha. Segundo o major Rocha do Batalhão de Choque, Thiago era uma espécie de ‘guarda-roupa’ – termo usado no meio criminoso para quem guarda a droga que será transportada. 

Thiago já tinha duas passagens pelo mesmo crime. Na casa havia 256 tabletes de cocaína e, quando os policiais chegaram ao local, o traficante tentou fugir pela residência de um vizinho. O traficante já estava sendo monitorado. 

Comandante Rocha do Batalhão de Choque (Henrique Arakaki, Midiamax)

O confronto

Policiais do Batalhão de Choque faziam rondas pelo Bairro São Conrado quando ouviram um estampido semelhante a tiro. A equipe conversou com a moradora da residência, que negou ter ouvido o barulho.

Contudo, os militares desconfiaram por ela ter ficado muito nervosa. Ao entrarem no imóvel, encontraram uma escada encostada no muro. Quando um dos policiais subiu para ver o quintal vizinho, encontrou Thiago com um revólver.

Foi ordenado que ele soltasse a arma e colocasse as mãos na cabeça. Contudo, Thiago teria erguido as mãos segurando o revólver. Quando os policiais pulavam o muro para acessar o terreno, Thiago teria fugido, correndo para os fundos da residência.

Os militares conseguiram encontrá-lo por uma janela, momento em que Thiago teria apontado a arma para eles e efetuado dois disparos. Um dos policiais, então, efetuou três disparos, que atingiram Thiago.

Ele foi levado para o Hospital Rosa Pedrossian. Enquanto isso, ainda no imóvel, outra equipe encontrou grande quantidade de cocaína. Thiago chegou a receber atendimento, mas morreu logo após dar entrada no hospital.

Os militares ainda encontraram 28 porções de maconha e mais um tablete escondido dentro de um sofá. A cocaína totalizou 267 gramas, além de 15,4 quilos de maconha. O caso foi registrado como tráfico de drogas, homicídio decorrente de oposição à intervenção policial e porte ilegal de arma de fogo.