Jorge Adalid Granier Ruiz, o ‘Nono’, foi preso nesta terça-feira (28) em , a 47 quilômetros de . Considerado um dos criminosos mais procurados da Argentina, o boliviano foi preso com documento falso, que comprou no Pará.

Conforme o chefe do Núcleo de Policiamento da PRF (Polícia Rodoviária Federal), Marcos Klay, e a chefe da Delegacia da PRF em Mato Grosso do Sul, Caroline de Oliveira, a prisão aconteceu em abordagem no posto de Jaraguari.

Assim, foram abordados os três ocupantes da , sendo o motorista Valderson Pereira dos Santos, de 43 anos. Jorge e uma mulher eram passageiros da caminhonete, sendo a mulher identificada como amante de Jorge, que é casado e confirmou ter esposa na Argentina.

Contra Valderson foi identificado um mandado de prisão em aberto, de Rondonópolis (MT), por porte ilegal de de fogo. Já com Jorge foram encontrados documentos falsos.

Após a abordagem, ele confessou que pagou R$ 5 mil em um RG falso no Pará. Também comprou na Bolívia um documento falso por 200 dólares e um passaporte boliviano, por 500 dólares.

Caminhonete foi apreendida – Foto: Kísie Ainoã/Midiamax

Passou por cirurgias no Brasil

Ainda segundo a PRF, foi difícil identificar Jorge. Isso porque nas fotos encontradas no sistema policial, ele tinha outra aparência. O suspeito confessou que chegou ao Brasil no fim de dezembro de 2022.

Antes, ele estaria vivendo na Bolívia. Já no Brasil ele teria feito cirurgia bariátrica e também cirurgias plásticas, tendo a aparência modificada.

Mesmo assim, foi confirmado que se trata de um dos traficantes mais procurados na Argentina. Jorge ainda confessou ser integrante do PCC (Primeiro Comando da Capital).

Notícias de jornais argentinos apontam estreita ligação entre o filho de Jorge e Giberto Aparecido dos Santos, o ‘Fuminho’. Este, preso em 2020, é considerado pessoa de confiança de Marcos Willians Herbas Camacho, o Marcola, apontado pela polícia como líder do PCC.

Por fim, os dois homens acabaram presos. Já a mulher foi liberada, já que nada ilícito foi constatado com ela.

Foto: Kísie Ainoã/Midiamax

A caminhonete Hilux foi apreendida e os envolvidos encaminhados para a Polícia Federal. Jorge responde por falsidade ideológica e documento falso.

A PRF acredita que Valberson atuava como segurança de Jorge. Com ele foram apreendidos quatro celulares. Já sobre a viagem, a tentou alegar que seguiria para Campo Grande, mas depois confessou que voltaria para a Bolívia.

Saiba Mais