Nesta quarta-feira (8), Dia Internacional da Mulher, será julgado Antônio Benites, pelo crime de feminicídio contra a própria irmã, Patrícia Benites Servian, de 31 anos, estrangulada em maio de 2022, no , em Campo Grande. O crime aconteceu após os irmãos, que ingeriam bebidas alcoólicas juntos, se desentenderem. Três dias após o crime, Antônio foi preso e disse que havia “perdido a cabeça”.

O julgamento acontece às 8h no Tribunal do Júri, quase um ano após o crime.

Conforme relato do autor, no dia do crime a estava no hospital, o pai havia saído para trabalhar e os filhos de Patrícia estavam dormindo. Ele e a irmã passaram a beber cervejas nos fundos da casa.

O homem contou que não se lembra do motivo, mas que iniciaram uma discussão. Lembrou que a irmã o xingou, foi quando teria perdido o controle. Nisso empurrou a irmã, que caiu no chão, a apertou no pescoço e que achava que ela estava desmaiada. Só depois percebeu que ela havia morrido. Ninguém teria presenciado o crime.

Em seguida, arrastou o corpo para os fundos e o cobriu com pano branco. Pela manhã, os sobrinhos perguntaram pela mãe, mas Antônio disse que ela havia saído para trabalhar.

No fim da tarde, outro irmão chegou à residência e contou que havia feito. Depois a polícia foi acionada. Em depoimento, Antônio contou ainda que os irmãos ficaram abismados e sem reação. Ele ainda foi agredido por um sobrinho quando tentou fugir.

Depois de conseguir sair do local, ficou escondido próximo a uma oficina no Bairro Itamaracá, até que foi reconhecido e preso.

O irmão ainda havia cavado uma cova rasa nos fundos da casa atrás do tanque e passou o dia tentando esconder o corpo.

Vizinhos chegaram a relatar que ouviram gritos e pedidos de socorro e acionaram o Ciops  (Centro Integrado de Operações de Segurança), porém o crime só foi descoberto no fim da tarde.

Saiba Mais