Uma quadrilha que utiliza a logística de despacho via Correios para distribuir drogas a diversos Estados do país foi alvo da Operação ‘Track Back’ (Descobertos) da Polícia Federal, deflagrada na manhã desta quinta-feira (24) em Campo Grande.

Foram cumpridos cinco mandados de busca e apreensão, todos expedidos pela Justiça Estadual do Mato Grosso do Sul.

Conforme a PF, durante as investigações foi identificada a participação de vários indivíduos que realizavam as postagens das encomendas nos Correios. Eles eram responsáveis por embalar as drogas nas encomendas ou por levar até os efetivos despachantes.

A polícia e os Correios buscam identificar todos que utilizam os serviços postais de forma criminosa.

Sobre o nome da operação, segundo a PF, deriva da ilusão dos envolvidos de estarem “invisíveis” aos meios investigativos.

Em nota, o Correios informou que tem parceria com os órgãos de fiscalização, autuação e apreensão como Receita Federal, Polícia Federal, Exército, Ibama, entre outros, e atuam em conjunto na prevenção e combate à ocorrência de ilícitos. Os empregados atuam de forma diligente visando identificar postagens cujo conteúdo esteja em desacordo com a legislação. Quando algum objeto com conteúdo proibido ou ilícito é detectado, os Correios acionam os órgãos competentes.

Segundo os Correios, o órgão possui métodos de monitoramento que são aprimorados, periodicamente, com base em informações apresentadas pelos órgãos de segurança e de fiscalização. Muitas das operações de combate a ilícitos começam por meio do processo de fiscalização não-invasiva (raio-x) dos Correios.

A empresa tem priorizado investimentos em ações preventivas para fortalecer a integridade dos serviços postais. As instituições parceiras são responsáveis por dar encaminhamento às operações investigativas, desta forma, dados e informações sobre as ocorrências são repassadas somente a esses órgãos competentes.