A (Polícia Militar Ambiental) autuou dona de rancho em R$ 7 mil por desviar água de córrego para uma represa, destruindo áreas protegidas em Bonito, cidade a 297 quilômetros de .
Os policiais realizaram ambiental no rancho, localizado nas margens da MS 345, área rural do município e autuaram a proprietária, de 48 anos, por degradação de área protegida de mata ciliar ao desviar córrego e construir represa sem autorização ambiental.

De acordo com a polícia, foi verificado que havia construído uma caixa em alvenaria de 3 m² no leito do córrego Pequetito, com o objetivo de desviar água por gravidade por um cano de 100 milímetros para uma represa construída próxima à propriedade, degradando áreas protegidas de preservação permanente (APP), sem a licença ambiental. Segundo o esposo da proprietária, que acompanhou a vistoria, a fora executada há aproximadamente sete anos. As atividades foram paralisadas.

A proprietária do rancho, residente em Bonito, foi autuada administrativamente e foi multada em R$ 7 mil. Ela foi notificada a remover a construção do córrego, sem afetar mais ainda a área protegida e deixar o córrego em seu curso original. Ela também responderá por crime ambiental de degradação de área de preservação permanente (APP). A pena para este crime é de um a três anos de detenção.

Saiba Mais