O homem preso na manhã desta terça-feira (7), no bairro Parque dos Laranjais, em Campo Grande, por estuprar uma mulher com deficiência intelectual, no dia 19 de outubro, tem várias passagens pela polícia, segundo as delegadas da (Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher), Elaine Benicasa e Analu Lacerda.

Em coletiva nesta manhã, as delegadas explicaram que o autor, apesar de ter várias passagens, nenhuma delas era por estupro. Ele trabalhava em uma oficina na rua da casa da vítima e sabia da rotina da mulher. O autor foi preso em casa.

Segundo informações repassadas, a mãe do autor teria entregue usadas por ele a polícia no momento da prisão do filho, que negou inicialmente o crime. Contra ele havia um mandado de prisão temporária de cinco dias.

Funcionários da escola e a vítima serão ouvidos novamente na delegacia. O crime aconteceu no dia 19 de outubro quando a mulher ia para a escola.

A mulher saiu de casa por volta das 6h40 para ir à escola, no dia 19 de outubro, sendo um trajeto que ela costumeiramente fazia sozinha, devendo chegar até a unidade escolar antes das 7 horas da manhã, mas só foi aparecer na escola por volta das 10 horas.

O estupro

Quando chegou à escola estadual, o diretor percebeu que ela estava suja, descabelada. A família foi informada do que havia ocorrido e a vítima foi levada até a sua casa. Já para os familiares, a mulher contou que no caminho da escola foi abordada por um morador da região, que a levou até um terreno baldio.

Lá o homem a estuprou. A mulher estava com arranhões nas costas e foi levada até a delegacia, onde passou por exames. Familiares conseguiram localizar o autor, que foi detido até a chegada da Polícia Militar. Testemunhas contaram que o autor já vinha abordando mulheres nas ruas da região.