Policial penal, de 36 anos, preso na madrugada de quarta-feira (20), depois de atirar contra uma residência para cobrar dívida de agiotagem, foi solto após pagar fiança no valor de um salário mínimo.

O alvará de soltura foi expedido, ainda ontem, durante audiência de custódia. A liberdade provisória foi concedida mediante o pagamento de fiança no valor de R$ 1.320.

O juiz Albino Coimbra Neto determinou a suspensão do porte de arma, até que seja realizado o exame de balística e proibiu o policial penal de se aproximar da vítima.

O caso

O autor foi preso na madrugada de ontem depois de atirar contra uma residência, no Bairro Jardim Los Angeles, em Campo Grande. O policial teria atirado contra a casa a fim de cobrar a dívida.

Conforme os relatos, ele chegou ao local chamando pela vítima e em seguida atirou na residência. Os tiros atingiram a sala da casa. A mulher não estava no local.

Os vizinhos ouviram os disparos e acionaram a polícia. A vítima contou à polícia que emprestou dinheiro a juros e atrasou algumas parcelas. O policial penal também teria enviado mensagens, via WhatsApp, ameaçando a mulher.

Os policiais foram à casa do autor, que confirmou que ter ido à residência da vítima, no entanto, negou ter efetuado os disparos. Ele foi preso e atuado pelos crimes de agiotagem e disparo de arma de fogo. A perícia técnica também esteve no local e o exame de balística ainda será realizado.