Os dois policiais penais presos durante uma operação deflagrada pelo Dracco (Departamento de Repressão à Corrupção e ao Crime Organizado), na madrugada desta sexta-feira (20), em Dourados, a 225 quilômetros de Campo Grande, foram pegos quando entravam com maconha, cocaína e munições .357 na PED (Presídio Estadual de Dourados).

Segundo informações passadas pela delegada Ana Claúdia Medina, os policiais penais foram flagrados depois da meia-noite, quando estavam com uma mochila com porções de maconha e cocaína que ainda serão pesadas e as munições. O material seria entregue aos detentos.

Ainda se notou que a ação foi acompanhada também por outro policial penal, que não realizou os procedimentos de praxe, sendo identificado que ambos atuavam em conjunto em toda a dinâmica delitiva. Os presos foram autuados em flagrante, pelos crimes de tráfico de drogas.

Medina ainda disse que os policiais penais se aproveitavam das escalas para agir entrando com as drogas e armas a serem entregues para os presidiários. Um PAD (Procedimento Administrativo Disciplinar) contra os dois policiais penais foi instaurado pela Corregedoria da Agepen. 

Segundo informações, os policiais penais foram aprovados em concurso em 2019 e o outro em 2020. De acordo com o Portal da Transparência, um dos policiais penais recebe R$ 5.564,52 e o outro tem proventos de R$ 4.438,32.

A Agepen afirmou que vai ser aberto o procedimento administrativo que deve durar 30 dias, prorrogados por mais 30 dias.