A Polícia Nacional do também esteve no Bairro Residencial Ponta Porã. No local quatro jovens foram assassinados na madrugada deste sábado (7). As vítimas foram identificadas inicialmente como sendo Jonas Wesley Moraes de Pompeia, Xilon Henrique da Silva de 19 anos, de Marilia e Gabriel dos Peralta de 16 anos.

Entretanto, o nome identificado como sendo do paraguaio Salomon Solis Lopez, na verdade  trata-se do brasileiro Luan Vinícius Cândia, que usa documento falso.

As quatro vítimas já estariam sendo investigadas por crimes cometidos no Departamento de Amambay, cuja Capital é e estariam ligados a organização criminosa e ao crime organizado.

De acordo com informações apuradas até o momento, três pistolas 9 milímetros foram apreendidas na residência que era ocupada pelos rapazes. O local seria uma espécie de abrigo para marginais vindos de outros estados para praticar crimes na fronteira ou fugir da polícia.

Os quatro homens foram assassinados quando chegavam na casa e foram surpreendidos ainda no interior do carro que usavam. Quando os policiais militares chegaram, o veículo Ônix placas QAS 7742 de Ponta Porã ainda estava ligado.

Homens do Instituto de Criminalística da Polícia Nacional do Paraguai estão ajudando na identificação de um dos mortos e no Instituto Médico Legal (IML) de Ponta Porã os corpos serão periciados e passarão por exames papiloscópico.

O crime chocou a população da fronteira. As polícias do Paraguai e também do Brasil não afasta a possibilidade do crime estar ligado ao assassinato de Charles Gonzales e ao atentado na casa de duas magistradas em Pedro Juan Caballero.

A Polícia Nacional do Paraguai também esteve no Bairro Residencial Ponta Porã. No local quatro jovens foram assassinados na madrugada deste sábado (7). As vítimas foram identificadas inicialmente como sendo Jonas Wesley Moraes de Pompeia, Xilon Henrique da Silva de 19 anos, de Marilia e Gabriel dos Santos Peralta de 16 anos.

Entretanto, o nome identificado como sendo do paraguaio Salomon Solis Lopez, na verdade  trata-se do brasileiro Luan Vinícius Cândia, que usa documento falso.

As quatro vítimas já estariam sendo investigadas por crimes cometidos no Departamento de Amambay, cuja Capital é Pedro Juan Caballero e estariam ligados a organização criminosa e ao crime organizado.

De acordo com informações apuradas até o momento, três pistolas 9 milímetros foram apreendidas na residência que era ocupada pelos rapazes. O local seria uma espécie de abrigo para marginais vindos de outros estados para praticar crimes na fronteira ou fugir da polícia.

Os quatro homens foram assassinados quando chegavam na casa e foram surpreendidos ainda no interior do carro que usavam. Quando os policiais militares chegaram, o veículo Ônix placas QAS 7742 de Ponta Porã ainda estava ligado.

Homens do Instituto de Criminalística da Polícia Nacional do Paraguai estão ajudando na identificação de um dos mortos e no Instituto Médico Legal (IML) de Ponta Porã os corpos serão periciados e passarão por exames papiloscópico.

O crime chocou a população da fronteira. As polícias do Paraguai e também do Brasil não afasta a possibilidade das execuções estarem ligadas ao assassinato de Charles Gonzales e ao atentado na casa de duas magistradas em Pedro Juan Caballero.

Saiba Mais