Traficante de 31 anos foi preso, no final da manhã desta terça-feira (11), após a polícia civil ‘estourar’ uma boca de fumo, na Vila Belo Horizonte, em Campo Grande. Ele mantinha a empreendimento ilícito há cerca de 2 meses e morava no local com mulher e crianças.

De acordo com o delegado Bruno Santacatharina, após denúncias, uma equipe da Denar (Delegacia Especializada de Repressão ao Narcotráfico) foi até o local para averiguar e passaram a monitorar o endereço.

Nesta terça, um casal que havia acabado de comprar a droga na residência foi abordado e durante a revista policial foram localizadas duas porções de pasta-base de cocaína, com peso de 0,30 g.

Tanto o homem quanto a mulher confirmaram que tinham acabado de comprar a droga com o suspeito e pago R$ 5 por cada porção. Diante do flagrante, a equipe entrou na residência para efetuar a prisão do homem, que estava em uma edícula do aos fundos da casa.

Ao entrar na ‘boca’, a polícia foi atacada por cinco pitbulls e precisou fazer uso de balas de borracha. O traficante tentou fugir pulando o muro da residência, mas não conseguiu deixar o imóvel e foi pego pela equipe da Denar.

R$ 12 mil em espécie

Na residência e com o suspeito foram apreendidos R$ 12.294,00 em espécie e com notas trocadas. Além disso, ele estava com porção de pasta base de cocaína – seu principal produto comercializado. Entretanto, o traficante também vendia outros tipos de entorpecentes, como maconha.

A polícia também apreendeu 18 porções de pasta base de cocaína dentro da residência, além de uma pedra bruta da droga e petrechos, como balança, tesoura, prato e peneira – usados no preparo das porções.

Ainda conforme o delegado, o traficante é natural de Corumbá e estava em Campo Grande há ‘algum tempo’. Ele foi preso por tráfico de drogas majorado, já que o ponto de venda ficava perto de uma escola.

O modus operandi observado durante o monitoramento velado era de que o cliente chegava e pedia a droga pelo interfone. O pagamento era feito pela caixa de correio.

Após isso, o traficante entregava o produto com o portão entreaberto. A casa tinha forte esquema de segurança com câmeras de monitoramento espelhadas.

Crianças viviam na casa

Na residência, além do traficante e cachorros, a polícia encontrou uma mulher e três crianças, que viviam lá. Segundo apurado pela Denar, ela não tinha participação do tráfico de drogas e os menores de idade (incluindo um bebê) não apresentavam sinais de maus-tratos.

Entretanto, de acordo com o delegado, o caso será oficializado ao Conselho Tutelar, que pode comunicar ao juiz da Vara da Infância e Juventude, e apurar as condições das crianças, já que elas moravam no local e estavam expostas ao tráfico de drogas.