O pai do homem que efetuou disparos contra uma família no sábado (8), no Bairro Pioneiros, em foi liberado durante audiência de custódia realizada na manhã desta segunda-feira (10) mediante uso de tornozeleira eletrônica. O havia sido preso em depois que a polícia o encontrou com duas espingardas, após confusão que resultou em troca de e acabou atingindo uma criança de 11 anos.

Como o homem, de 63 anos, não agiu mediante grave ameaça, tem primariedade e bons antecedentes, além de possuir residência fixa e trabalho lícito, foi concedida liberdade provisória mediante medidas cautelares, entre elas a de não se aproximar das vítimas, devendo manter distância de pelo menos 100 metros, comparecer mensalmente e pessoalmente em juízo e utilizar tornozeleira eletrônica por 90 dias.

O idoso foi preso na residência onde mora, pelo GOI (Grupo de Operações e Investigações), no Morenão, por estar portando uma espingarda. No imóvel foram localizadas duas espingardas, uma aparentemente de pressão e outra adaptada para calibre 22. Ambas devem passar por perícia.

A arma de airsoft, tipo pistola, que teria sido utilizada pelo enteado da vítima, foi indicada pelo proprietário da residência. Contudo, ele relatou ao Jornal Midiamax que o filho não estava com arma. “Quando ele saiu no portão, meu filho só apontou o dedo para ele. Ele deu tiros na porta, do lado direito, e quebrou os vidros”, afirma. O autor dos disparos não foi localizado e segue foragido.

Confusão

Segundo consta no registro policial, o dono da casa afirmou aos militares que chegou e estacionou em frente ao imóvel, quando sua esposa foi pegar a bolsa no carro e teria percebido que a vizinha, que possui deficiência, estava acompanhada por três homens que lhe ofereciam bebidas alcoólicas e teriam passado a mão em sua nuca e queixo.

A mulher teria afirmado que se continuassem com aquela atitude iria chamar a polícia, gerando uma discussão envolvendo seu marido. Em seguida, o casal teria entrado para sua casa e os dois perceberam que um dos três homens estava com uma espingarda e batendo no para-brisas do veículo.

O proprietário da casa entrou no carro para retirá-lo do local. Na sequência, outro homem também com arma de fogo, um revólver, começou a atirar na direção da residência e do veículo. Ele afirmou aos PMs que seu enteado, maior de idade, teria pegado uma arma simulacro de airsoft e apontado em direção aos autores dos disparos.

O menino de 12 anos estaria na varanda quando foi alvejado com o disparo no peito. O autor teria fugido em uma caminhonete Nissan Frontier preta. A mulher, por sua vez, teria colocado os filhos feridos em outro carro e levado para receber atendimento médico na UPA (Unidade de Pronto Atendimento) Universitário, de onde foram transferidos para a Santa Casa.