Um grupo criminoso que recebia de empresas de Mato Grosso do Sul para lavagem de dinheiro e organização criminosa foi alvo da Operação “Rei da Lavagem”, deflagrada pela PF (Polícia Federal) nas cidades de São Bento e Paulista, localizadas no estado da Paraíba, na manhã desta quinta-feira (14). Os criminosos usavam comércio de redes e mantas e movimentaram mais de R$ 230 milhões.

A operação, que contou com apoio da PM (Polícia Militar) da Paraíba e atua para arrecadar elementos em investigação pelos crimes de lavagem de capitais e organização criminosa, cumpriu oito mandados de busca e e sequestro de valores relativos aos investigados, em sua maioria residentes de São Bento (PB). 

À polícia, os criminosos informaram que trabalham com venda de redes de dormir e mantas, porém recebiam e efetuavam transações financeiras, totalizando em mais de R$ 230 milhões, que eram realizadas por empresas de MS, Mato Grosso (MT) e (PR). Sobre as transações, consideradas atípicas, eles não haviam justificativa para a alta quantidade de dinheiro.

Os proprietários das empresas alvos da PF também são investigados pelos crimes de tráfico de drogas, armas e lavagem de dinheiro.

Além disso, os criminosos usavam contas de “laranjas” para receber valores e remessa para empresas e pessoas físicas designadas pelo grupo.