A deflagrou simultaneamente nesta sexta-feira (17) duas operações, Handmade e Descobridor, com objetivo reprimir e desarticular uma organização criminosa especializada em lavagem de capitais oriundos do tráfico internacional de drogas. A operação é contra o grupo do ex-major Carvalho.

Mato Grosso do Sul está entre os estados alvos da operação. São cumpridos 14 mandados de busca e apreensão em São Paulo, Mato Grosso do Sul e Mato Grosso. As investigações decorrem da chamada Operação Enterprise, deflagrada em novembro de 2020. Também foram decretadas medidas patrimoniais de bloqueio de bens na ordem de R$ 80 milhões. 

O grupo importava roupas da para ocultar e fazer a lavagem de do tráfico de drogas. As roupas eram disponibilizadas em redes de lojas do varejo têxtil, utilizando o chamado “branqueamento” do recurso ilícito. 

Modus Operandi

Após a venda dessas mercadorias, o dinheiro retornava para a organização criminosa já ‘limpo’, dificultando a identificação da origem criminosa dos valores. Na ação de hoje, carros, dinheiro em espécie, joias e outros itens de interesse da investigação foram arrecadados pela PF. 

Os investigados nas operações deflagradas hoje responderão na Justiça Federal, confirmados os fatos, cada qual dentro da sua esfera de responsabilidade, pelos crimes de associação criminosa e lavagem de capitais, cujas penas, somadas, podem ultrapassar dez anos de reclusão. 

Enterprise

A Operação Enterprise foi uma ação conjunta entre a Polícia Federal e a Receita Federal, deflagrada em novembro de 2020. Foi a maior operação do ano no combate à lavagem de dinheiro do tráfico de drogas e a maior da história na apreensão de cocaína nos portos brasileiros. No dia 24 de novembro, a Polícia Federal divulgou o balanço. Entre os dados, está a confirmação da prisão de 40 pessoas, sendo três delas em outros países. 

Foram cumpridos mandados em durante a operação. Conforme a divulgação, a operação que tinha como objetivo combater a lavagem de dinheiro proveniente do tráfico internacional de drogas prendeu 37 pessoas no Brasil. Também foi presa 1 pessoa no Panamá, 1 na Colômbia e 1 na Espanha. Ainda foram apreendidos 200 quilos de cocaína, além de 61 veículos, 5 motocicletas, 4 caminhões e 1 jet-ski. 

Já o patrimônio bloqueado, em imóveis, carros de luxo, joias e aeronaves, está avaliado em aproximadamente R$ 400 milhões. Só entre as aeronaves, foi realizado sequestro de 37, uma delas na Espanha, avaliada em US$ 20 milhões. Também foram apreendidas 16 armas de fogo, um simulacro e 507 munições. Já o dinheiro encontrado durante a operação totalizou R$ 1.141.002,00, US$ 169.352,00, € 9.000,00 e 1.120 Dirham (moeda dos Emirados Árabes Unidos).