O brasileiro preso com mais 13 pessoas na madrugada de quinta-feira (2), em Capitán Bado, na fronteira com , no Mato Grosso do Sul, identificado como Rodrigo Araujo de Abreu, que é conhecido pelos apelidos de ‘Codó’ e ‘Bola’, também usava nome .

Segundo informações do Departamento Antissequestro da Polícia Nacional, ele também se apresentava com a identidade de André Gomes Bezerra e era procurado pela Justiça brasileira por crimes de homicídio e tráfico de drogas.

O RG (Registro Geral) usado pelo criminoso pertence a uma pessoa que teria morrido em 2019, segundo informações que foram repassadas pela polícia brasileiras às autoridades paraguaias que acompanham a Sombras.

As diligências foram realizadas em duas residências do lado paraguaio, onde os criminosos foram capturados. Da lista de 14 presos, onze são brasileiros e três paraguaios, segundo informações do chefe do Departamento Antissequestro, comissário Nimio Cardozo.

Segundo ele, os faccionados eram investigados em decorrência de sequestros realizados durante o ano passado em cidades paraguaias. Nas residências foram encontradas armas de fogo, bloqueadores de sinal, tornozeleiras de uso prisional, aparelhos de rádios walkie, celulares e cartuchos de diversos calibres.

Com base no acordo tripartite envolvendo Brasil, Paraguai e Argentina, os investigadores fazem o mapeamento dos criminosos, como do responsável pelo fornecimento de armas e também de drogas para o CV.