João Paulo Maldonado Osório, de 27 anos, que foi executado com mais de 60 tiros no Conjunto Residencial Recanto dos Rouxinóis, em , na noite dessa quinta-feira (28) era investigado por receptação culposa, conforme denúncia do (Ministério Público de Mato Grosso do Sul).

O rapaz foi surpreendido em março de 2021 escondendo uma Toyota Hilux, de cor prata, fruto de um estelionato cometido em outubro de 2020, em um galpão no Morenão. Ele teria recebido o valor de R$ 15 mil como penhora.

Dentro do galpão tinham vários veículos escondidos com restrições criminais e possivelmente drogas. Foram realizadas diligências pela polícia civil, por intermédio da Denar (Delegacia Especializada de Repressão ao Narcotráfico), que entraram no imóvel e se depararam com vários veículos.

No galpão, o qual o rapaz se apresentou como proprietário, também foi encontrado um patinete motorizado à gasolina, com motor de adulterado. João Paulo teria admitido que sabia do motor com numeração adulterada.

Execução

Na noite de quinta-feira (28), João Paulo foi executado a tiros em uma conveniência no Conjunto Residencial Recanto dos Rouxinóis, em Campo Grande. Ele estava com um amigo quando os atiradores chegaram em uma motocicleta.

Imagens de câmeras de segurança mostram a vítima conversando com um amigo na frente da conveniência. Uma de moto se aproxima, o garupa desce apontando a arma para João Paulo, inicia os disparos e ele cai ferido.

Com medo, o amigo corre. O piloto da moto desce e também efetua disparos em direção à vítima e depois aponta a arma para um carro que estava próximo do local.

O suspeito esconde a arma na cintura e retorna para o veículo. Já o comparsa continua com os disparos em direção à vítima enquanto volta para a moto. Em seguida, os suspeitos fogem.

A vítima foi atingida várias vezes e morreu no local. Equipes da Perícia e Polícia Civil recolheram no local 53 cápsulas 9mm e 10 de calibre .40.