Sander Rony executado a tiros dentro de um veículo Celta, em Corumbá, a 444 quilômetros de , na noite de terça-feira (24), fazia parte de uma quadrilha especializada de atravessadores de carros para a fronteira. Ele estava sendo monitorado por tornozeleira eletrônica.

Em agosto de 2020, Sander e o restante da quadrilha, um total de seis, foram denunciados pelo (Ministério Público Estadual) pelos crimes de receptação e organização criminosa. Na quadrilha, Sander tinha a função de ‘batedor’. A quadrilha, de acordo com a denúncia, era bem organizada e com funções delimitadas.

“Pelos elementos constantes do Inquérito Policial, verifica-se a estruturação ordenada e a divisão de tarefas da organização criminosa integrada pelos denunciados, uma vez que os denunciados Alexandre e Alex Sandro atuam transportando os veículos receptados, aos acusados José e Edson cabia o papel de transportar os motoristas de volta à Campo Grande após a entrega dos veículos que seriam levados à e os denunciados Sander Rony, Yasmin e Yzabela Terezinha Agiam como ‘batedores’, tendo vindo na frente e informado acerca das situações dos postos policiais aos motoristas. Ademais, a habitualidade também restou devidamente materializada, uma vez que tanto o acusado Sander Rony quanto o acusado Edson já foram autuados outras vezes por receptações de veículos, o que demonstra a reiteração dos mesmos, bem como pelo fato de que dentro da carteira do denunciado José foi encontrado o CRLV de um veículo com registro de roubo/furto.”

Antes da última prisão, Sander já havia sido flagrado com um veículo furtado. Muitos carros atravessados para a fronteira eram de locadoras. “Os agentes da PRF abordaram, então, no sentido Corumbá/Campo Grande, os denunciados Sander Rony, Yasmin e Yzabela Terezinha, os quais estavam a bordo de outro veículo e demonstraram nervosismo quando questionados acerca do motivo da viagem. Em consulta aos sistemas, os policiais descobriram que o acusado Sander Rony já havia sido preso anteriormente pela receptação de um Toyota/Etios, momento no qual este confessou que haviam realizado função de ‘batedor’ para os receptadores dos veículos Hyundai/HB20 e Ford/Fusion, informação esta confirmada quando, em acesso permitido pelos acusados Sander Rony e Yasmin a seus aparelhos celulares, os policiais verificaram que estes trocaram diversas mensagens com o acusado Alexandre, falando sobre os postos policiais e condições da estrada”, disse a denúncia.

A execução

Sander Rony, de 23 anos, foi executado a tiros na Rua Minas Gerais, parte alta de Corumbá. De acordo com informações, ele estava em um GM Celta quando foi atingido a .

Vizinhos disseram à polícia que ouviram os disparos e encontraram o rapaz já sem vida. Sander morava ao lado da casa da mãe, publicou o site Diário Corumbaense. Populares viram dois autores se aproximarem de moto, momento em que fizeram os disparos.

Cinco cápsulas deflagradas ficaram ao solo. Sander possuía passagem policial e era monitorado por meio de tornozeleira eletrônica. Polícia Civil e Militar foram acionadas.