A escola de Campo Grande acusada pela mãe de um bebê de 1 ano e 7 meses de maus-tratos, nessa quinta-feira (9), negou que o menino estava com um hematoma no rosto e disse que o bebê foi entregue no carrinho para a . O caso foi registrado na (Delegacia de à Criança e ao Adolescente).

Em nota, a escola informou ao Jornal Midiamax que a mãe foi chamada até a escola depois do bebê apresentar um quadro febril. “Em momento nenhum foi evidenciado que a criança esteve amarrada ou com hematomas. A instituição de ensino foi injustamente acusada, motivo pelo qual pela qual já está tomando as providências judiciais cabíveis contra a mãe da criança, pelas infundadas acusações.”

Em outro trecho da nota, a escola afirma que “A criança ao passar pela Depac não foi encaminhada para o Imol, pois não havia nenhum hematoma e muito menos hematomas. A escola ainda fala que repudia o fato de ato de violência, maus-tratos contra crianças”.

Versão da mãe

Segundo informações, a mãe chegou até a escola por volta das 16 horas dessa quinta-feira (9) para buscar o bebê quando o encontrou com um hematoma no rosto e amarrado ao carrinho com o próprio cinto do carrinho, o que gerou uma compressão e causou o machucado. A mulher ainda relatou que o cinto apertou a barriga do bebê.

A mãe disse que há dias o bebê já vem apresentando comportamento diferente após começar a frequentar a escola, como reclamado muito para trocar fralda, tomar banho, além de chegar com muita fome e sede. A mãe tirou o bebê da escola, segundo a direção da unidade escolar.

Saiba Mais