Após a da do bebê de dois meses que foi abandonado no de Pedro Juan Caballero, na fronteira com Ponta Porã, duas tias reivindicam a guarda da criança, que foi colocada sob cuidados de uma família de acolhimento.

Uma das mulheres se identificou como irmã do pai do bebê, enquanto a outra disse ser irmã da mãe. “Não fui eu quem o abandonou, foi minha mãe (a avó), deviam ter prendido ela”, disse a mãe em entrevista a uma emissora de rádio local.

Segundo a advogada Leticia Sosa, defensora da Criança e do Adolescente, o bebê está internado em clínica privada para melhor atendimento médico.

Ele deu entrada na área pediátrica do Hospital Regional de Pedro Juan Caballero apresentando problemas respiratórios e também estava em condições insalubres, sem banho.

Saiba Mais