Após a segunda reunião da mesa de negociação específica da categoria dos PRFs (Policiais Rodoviários Federais) com o , agendada para a última terça-feira (17), ser desmarcada, os sindicatos que representam os servidores estão convocando assembleias e decretando ‘Estado de Alerta’.

Em Mato Grosso do Sul, o presidente do SINPRF/MS (Sindicato dos Policiais Rodoviários Federais de MS), Wanderley Alves dos Santos, explicou que está agendada para a próxima terça-feira (24) uma para decidir o que será feito e possivelmente também decretar estado de alerta. 

Segundo Wanderley, a reunião desmarcada com o Governo Federal visava cobrar a valorização da carreira PRF, entre os pedidos, a revisão da estrutura salarial. 

“A reunião foi desmarcada sobre a alegação de que não há espaço orçamentário, contudo duas outras carreiras o governo apresentou propostas de 70% de recomposição”, explicou.

Ainda segundo o sindicato, está havendo perda e cargos na instituição. “No caso específico da PRF vemos muita depreciação por parte do MJ que, ao mesmo tempo que diminui a nossa estrutura de cargos. Perdemos 101 cargos de chefia no começo do ano. Isso implica numa diminuição de setores estratégicos para a atuação da instituição como, por exemplo, o setor de inteligência. Na contramão, ele usa a nossa mão de nas crises, pois nossa capilaridade e capacidade de organização dá respostas mais rápida, como, por exemplo, nas enchentes em RS, atuamos também no censo indígena na Terra Yanomani, Foram enviados 300 policiais para o Rio de Janeiro, agora iremos para a amazônia para coibir os crimes ambientais”, detalhou.

Com o efetivo desmotivado, Wanderley acredita que na assembleia será, sim, decretado estado de alerta. “O estado de alerta são alguns passos antes de medidas mais duras como outras mobilizações. A assembleia é suspensa, não é encerrada, permanecendo em aberta, podendo ser convocada a qualquer momento para deliberar sobre medidas mais duras ou sobre o recebimento de proposta do governo para avaliação dos servidores”, afirma.

Enquanto isso, serão tomadas medidas de desagravo e insatisfação como colocação de faixas nas unidades operacionais, postos da PRF e outdoors, além de buscar base parlamentar.

Para o presidente da FenaPRF (Federação Nacional dos Policiais Rodoviários Federais), Tácio Melo, é necessário que a categoria se una em busca de melhorias para todos. “Os policiais rodoviários federais apresentam resultados que impressionam, na segurança viária e na proteção da sociedade com o combate ao crime. Com o trabalho destes homens e mulheres, toneladas de drogas e milhares de munições e armas de fogo deixam de circular livremente. Precisamos que todos os servidores se unam para que o Governo Federal entenda de uma vez o que significa um PRF valorizado e comece a escutar as demandas da categoria e possa atender as reivindicações que são justas e necessárias”, discursou durante Assembleia Geral Extraordinária ocorrida na quarta-feira (18).