O paraguaio Wenceslao Oviedo Acosta e o brasileiro Rubén Torales Huerta foram condenados a 28 anos de prisão pela Justiça do nesta terça-feira (11). Eles são acusados pela morte do pecuarista Aguinaldo Correa, de 48 anos.

Aguinaldo era brasileiro e foi assassinado em 2019, em Capitán Bado, na fronteira com Coronel Sapucaia, no Mato Grosso do Sul. Os pistoleiros estavam em uma motocicleta dirigida por Oviedo Acosta.

Segundo consta no processo, os tiros contra o pecuarista foram disparados pelo brasileiro. Ele já era procurado por homicídio e porte ilegal de arma. A foi presa logo após o crime, por agentes da 4ª Delegacia de Capitán Bado.

O assassinato, segundo informações da Polícia Nacional, teria sido uma retaliação a uma denúncia do pecuarista sobre a presença de assaltantes e usuários de maconha, que estariam escondidos em sua propriedade.