Foram identificados como um homem de 31 e uma mulher de 29 anos os ocupantes do Ecoesport atingido por disparos de policiais de folga, após a saída de uma boate na Avenida Afonso Pena, próximo à Travessa Dona Sabina, na madrugada deste domingo (5).

Segundo o boletim de ocorrência, um grupo, sendo três mulheres e dois homens, teria sido retirado da pelos seguranças. Em seguida, os funcionários teriam sido ameaçados pelo grupo. Dois policiais de , que estavam na boate, foram avisados pelos seguranças sobre a ameaça.

O registro informa que alguém do veículo teria disparado contra os PMs, que revidaram. O motorista do Ecoesport perdeu o controle e bateu em um poste da travessa. O homem foi atingido no abdômen, enquanto a mulher na perna direita. Não há descrição sobre a gravidade do estado de saúde, entretanto, em entrevista ao Jornal Midiamax, o delegado Felipe Madeira disse que não é considerado grave.

Mais de 11 tiros

Cerca de 11 cápsulas deflagradas estavam no chão, quatro teriam atingido o veículo. Ainda conforme o delegado, os teriam atingido as costas de um homem e uma mulher ocupantes do carro. A Perícia encontrou um revólver sem registro, com 14 munições; a arma teria capacidade para 30 tiros. Duas cápsulas deflagradas foram localizadas no interior do Ecoesport, além de uma porção de maconha.

Uma das ocupantes do carro estava no local durante a perícia e, de acordo com Madeira, o veículo pertence a um tio da envolvida. Não ficou esclarecido de quem seria a arma.

A investigação irá identificar se houve disparos dos ocupantes do carro, pois ainda não se sabe se a arma estava carregada apenas com 14 munições ou teria sido disparada no local. O veículo foi levado para o pátio da 2ª Delegacia de Polícia, enquanto a arma e a droga para a 1ª DP.

O delegado informou que, por hora, fica configurado o registro de legítima defesa “diante da eminente ameaça”. A responsável pelo veículo teria se assegurado do direito de permanecer em silêncio durante o trabalho da perícia.

Saiba Mais