Depois de ter confessado o assassinato de Everton Reginaldo Feliciano, de 18 anos, com golpes de no pescoço e também no braço na Aldeia Jaguapiru, em , a 233 km de Campo Grande, o autor disse que matou por engano.

De acordo com depoimento do autor, uma mulher o procurou dizendo que teve a bicicleta furtada e o possível ladrão seria Everton, mas ela não tinha certeza. Para cometer o crime, ele receberia R$ 150 e mais R$ 150 se conseguisse informações sobre onde estava a bicicleta.

O rapaz contou então que encontrou Everton e o mesmo disse que não sabia de nada. Então, o jovem derrubou a vítima no chão, imobilizando em seguida, pegou um punhal artesanal da cintura e deu um golpe no pescoço de Everton. Na sequência, guardou o punhal e saiu andando.

Familiares de Everton souberam que ele estava ferido e decidiram levá-lo ao hospital por conta própria, mas ele não resistiu e morreu no caminho. A de Everton foi quem avisou a polícia que a liderança da aldeia havia encontrado o autor.

O caso foi registrado na Depac (Delegacia de Pronto Atendimento Comunitário) de Dourados como homicídio qualificado mediante pagamento ou promessa de recompensa ou por motivo torpe.