Um casal precisou gravar um vídeo para desmentir boatos que tem surgido sobre cometimento de supostos assaltos na região da Vila Alba em Campo Grande. O homem e a mulher, que vendem sacos de lixo de porta em porta, tiveram os rostos estampados nas sob acusação de estarem cometendo roubos nas ruas da cidade.

A imagem divulgada nas redes sociais mostra apenas o casal andando pela calçada. Não há nenhum de crime, conforme o vídeo abaixo.

Por este motivo, uma mulher, que participa de um grupo de de vizinhos da Vila Alba, recebeu a informação e conversou com o casal. Segundo áudio da mulher enviado ao Midiamax, o casal é conhecido na região pela venda dos sacos, mas nunca foram flagrados cometendo assaltos.

“Passaram para nós aqui no grupo como assaltantes. Estão destruindo a vida desse casal. Falei para eles fazer um vídeo, para que entendam que passaram coisas indevidas contra o casal. Ninguém fez nenhum tipo de boletim contra eles, pelo contrário, eles tiveram que arrumar advogado para se defender. É uma desumanidade o que estão fazendo com eles. Se a pessoa que espalhou isso tem provas, que mostre, leve para a polícia”, reclama a mulher.

Ela ainda afirma que conhece o casal. “Faz muito tempo. Sempre cada 15, 20 dias eles estão por aqui vendendo. Nunca vi fazerem nada de errado. É melhor essa pessoa se retratar, com Deus e com esse casal, porque estão cometendo uma injustiça”, concluiu a mulher.

Já no vídeo gravado pelos dois, o homem se apresenta como Helber e a mulher, Danielle. Eles afirmam que vendem sacos de lixo para pagar aluguel e cuidar da família. Eles negam qualquer crime. O homem afirma que a mulher toma remédios controlados e que nunca faria coisa errada.

Ainda segundo ele, a mulher nem poderia estar trabalhando, pois tem esquizofrenia. “Jamais faria uma coisa dessa. Nunca faria isso. Espero que a pessoa que fez isso tenha noção. Sem provas, sem saber o que a gente está fazendo, sem conversar com a gente. Expôs nosso rosto”, reclama. “Jamais a gente ia mexer com coisa de alguém. Não posso ficar longe dela, por isso não erro”, explica.

Ela afirma que a situação chegou a sair em alguns jornais e que a própria família questionou. “Nos perdoe pelo transtorno e que Deus tenha misericórdia da alma desse sem noção”, afirma.

Saiba Mais