VÍDEO mostra policiais militares sendo socorridos após conflito em retomada de terra indígena

Três militares ficaram feridos na ação, segundo a Secretaria de Estado de Justiça e Segurança Pública
| 26/06/2022
- 13:04
VÍDEO mostra policiais militares sendo socorridos após conflito em retomada de terra indígena
Três policiais ficaram feridos no conflito com indígenas - Vídeo: Divulgação/PM MS

Vídeo da Polícia Militar mostra os policiais feridos na ação que terminou com a de um indígena Guarani Kaiowá, durante conflito na última sexta-feira (24), no território Guapo'y, em Amambai, região sul de Mato Grosso do Sul.

De acordo com a Sejusp (Secretaria de Estado de Justiça e Segurança Pública), a Polícia Militar foi acionada para atender ocorrência de crime contra o patrimônio e crime contra a vida na Fazenda Borda da Mata, propriedade próxima da aldeia. No local, os policiais teriam sido recebidos a tiros, conforme divulgado pela Sejusp. Na ação, três militares foram feridos nas pernas e braços. Também foram feridos seis indígenas. 

O secretário de Estado de Justiça e Segurança Pública, Antônio Carlos Videira, disse em entrevista coletiva, na sexta-feira (24), que não se sabe se são indígenas, paraguaios ou indígenas paraguaios. Todos os feridos foram atendidos no hospital da cidade de Amambai, sendo que dois precisaram ser transferidos para acompanhamento médico em outras localidades.

A ação do da Polícia Militar aconteceu após indígenas da etnia Guarani e Kaiowá retomarem uma parte do território de Guapo'y, em Amambai. Os militares foram enviados à região e houve conflito. Pelo menos nove indígenas ficaram feridos e um acabou morrendo. Foi confirmada a morte do indígena Vitor Fernandes, de 42 anos. 

O Jornal Midiamax entrou em contato com os órgãos oficiais de segurança na manhã deste domingo (26) para falar sobre as imagens que circulam em redes sociais e que são atribuídas ao conflito. O secretário Antônio Carlos Videira, titular da Sejusp (Secretaria de Estado de Justiça e Segurança Pública) e a assessoria da Polícia Militar não atenderam as ligações. O espaço permanece aberto para manifestações dos órgãos oficiais de segurança de Mato Grosso do Sul.

Veja também

Últimas notícias