Mãe de assassinada a facadas por namorado na frente de filhos respira sem ajuda de aparelhos

João José, namorado de Daniela, acabou morto em troca de tiros com a polícia
| 03/06/2022
- 11:28
Mãe de assassinada a facadas por namorado na frente de filhos respira sem ajuda de aparelhos
(Foto: Arquivo/Midiamax)

A mãe de Daniela Luiz, de 30 anos, assassinada a facadas pelo namorado, já respira sem ajuda de aparelhos, na de Campo Grande. O crime aconteceu em Ribas do Rio Pardo, a 97 quilômetros da Capital. 

Segundo a assessoria do hospital, a paciente de 52 anos está internada na enfermaria aos cuidados da neurologia, consciente, orientada, estável e respirando sem ajuda de aparelhos. Ela teve que passar por uma transfusão de sangue.

O crime teria sido presenciado por uma criança de 4 anos, filho de Daniela, que saiu na rua para pedir ajuda aos vizinhos, com a roupa suja de sangue após os assassinatos.

O assassinato

O crime aconteceu por volta das 23 horas e, segundo informações, a polícia recebeu um chamado de que uma criança de 4 anos estava na rua com as roupas sujas de sangue gritando: “mataram minha mãe, socorro”. Quando os militares chegaram e foram até um cômodo nos fundos da casa encontram o adolescente de 14 anos, Gustavo Luiz, morto. Ele tinha vários ferimentos de facadas nas costas e no peito.

Daniela também foi encontrada sem vida, com várias perfurações de faca na cabeça e no pescoço. Outra mulher de 52 anos foi localizada com vários ferimentos de facadas, sendo socorrida pelo Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência) e levada para o hospital. Mas, devido ao seu estado de saúde, a vítima foi transferida para a Santa de Campo Grande. Segundo as testemunhas, o suspeito seria possessivo e ciumento. Ele, inclusive, já teria ameaçado Daniela em outras ocasiões.

Troca de tiros com morte de João José

Após o crime, a polícia saiu à procura de João e, quando encontrado, ele trocou tiros com a polícia para fugir, sendo atingido. João chegou a ser levado pelos militares até o hospital da cidade, mas já estava morto.

O suspeito seria do estado do Maranhão, e estaria na cidade atrás de emprego, com a recente instalação de indústrias locais. Não havia nenhum registro de boletim de ocorrência por violência doméstica feita contra ele por Daniela.

Veja também

Últimas notícias