Homicídio há 6 anos interrompeu festa ‘agostina’ no Lageado, que voltou em 2022 marcada por nova morte

Festa havia parado por alguns anos após homicídio
| 06/08/2022
- 09:33
Homicídio há 6 anos interrompeu festa ‘agostina’ no Lageado, que voltou em 2022 marcada por nova morte
Festa aconteceu na rua - Foto: Nathalia Alcântara/Midiamax

A festa ‘agostina’ do realizada na noite de sexta-feira (5) era a primeira após intervalo de 6 anos sem a celebração, depois de um homicídio. Uma briga acabou com a morte de Wanderson da Silva Padilha, de 31 anos, e também com uma adolescente de 14 anos ferida a nos pés.

Moradores da região, que preferiram não se identificar, contaram ao Midiamax que a festa acontecia anualmente, mas foi interrompida após um assassinato há 6 anos. Desde então, não foi mais realizada a celebração.

Logo no retorno da festa ‘agostina’, uma briga acabou com a morte de Wanderson. Testemunhas contaram que os tiros aconteceram durante a madrugada. Alguns moradores ouviram os disparos quando já estavam dormindo e também ouviram a confusão e gritaria na rua.

Execução em 2016

Eduardo Cavalcante Ribeiro, de 24 anos, foi assassinado durante a festa julina, na Rua Manoel Macedo Falcão, em 9 de julho de 2016. Ele ainda tentou fugir, mas foi baleado e acabou morrendo. Eduardo estava na barraca de bebidas, com amigos, quando foi surpreendido pelo autor.

Segundo testemunhas, o suspeito era conhecido de Eduardo e uma mulher também foi ferida por balas perdidas naquela ocasião. Na época, o relato era de que Eduardo tinha sido morto por engano.

Anos depois, em janeiro de 2018, o suposto autor do crime também foi executado, com 31 disparos de arma de fogo, em uma borracharia no Taveirópolis. Robson Genovez Baldonado, de 26 anos, chegou a ser preso pelo assassinato de Eduardo na época.

Homicídio após briga na festa

Conforme informações da Polícia Militar, a esposa de Wanderson contou que estava na festa na Rua Manoel Macedo Falcão, quando um suspeito apontou um revólver para a vítima. Wanderson ainda tentou correr para um terreno, mas foi seguido pelo suspeito.

O homem fez vários disparos com a arma de fogo, em direção ao rosto de Wanderson, que morreu no local. A adolescente de 14 anos acabou atingida por balas perdidas durante o tiroteio, sendo ferida nos pés. Ela foi socorrida por testemunhas e levada para a Santa Casa.

Perícia e Polícia Civil também foram ao local e foi constatado que Wanderson tinha 9 perfurações por arma de fogo no corpo. O caso foi registrado na Depac (Delegacia de Pronto Atendimento Comunitário) Cepol como homicídio simples.

Também foi registrada a lesão corporal contra a adolescente. O autor dos tiros ainda não foi identificado e é procurado pela polícia.

*Matéria editada para acréscimo de informação 

Veja também

Últimas notícias