Familiares são ouvidos sobre assassinato de empresário morto com três tiros em Campo Grande

Antes de ser assassinado, Wagner teria ido cobrar uma dívida
| 25/01/2022
- 13:07
Familiares são ouvidos sobre assassinato de empresário morto com três tiros em Campo Grande
(Henrique Arakaki, Midiamax)

Familiares e outras testemunhas já prestaram depoimento na 3ª Delegacia de Polícia Civil, em Campo Grande, sobre o assassinato de Wagner Paixão Chimenes, de 39 anos, morto com três tiros no domingo (23), na rua Kioto, na Vila Nascente. 

Segundo o delegado Ricardo Meirelles, as oitivas já começaram e durante a semana outras pessoas serão ouvidas para tentar esclarecer o crime. Mas, detalhes sobre os depoimentos não foram repassados para não atrapalhar as investigações. No dia do assassinato, foi levantada a hipótese de que Wagner foi morto em um acerto de contas, que não foi confirmado pelo delegado nem o valor que a vítima teria ido cobrar. 

Wagner foi assassinado com três tiros, sendo dois na cabeça e um no peito. A esposa informou que o empresário estava com o carro alugado, com placas de Belo Horizonte, Minas Gerais. Ele também é dono de um caminhão que faz entregas de algodão e soja, mas ressaltou que o companheiro é reservado e não costuma comentar sobre o trabalho.

O casal havia cancelado uma viagem para São Paulo, onde iriam comprar roupas em uma loja da área central, mas não receberam um pagamento antes da viagem, então, o empresário teria saído de casa por volta das 8h30 para cobrar tal valor.

Veja também

Ela não resistiu aos ferimentos e morreu um dia antes do tio ser reeleito

Últimas notícias