Conselho de Segurança relata 'surpresa' com pedido do MP para prender PMs e quer reunião

'Logo o Ministério Público, que deveria ser parceiro nosso?', relata presidente do Conselho, que quer reunião para resolver segurança no Imbirussu, em Campo Grande
| 23/06/2022
- 08:29
Conselho de Segurança relata 'surpresa' com pedido do MP para prender PMs e quer reunião
Avenida Euler de Azevedo na região do Imbirussu (Foto: Divulgação/Portal MS)

O presidente do Conselho Municipal de Segurança da região do Imbirussu, em Campo Grande, Felix Irlando Gonçalves, que contempla as regiões do Jardim Aeroporto e da Vila Popular, disse que ficou surpreso com o pedido do MPMS (Ministério Público de MS) para prender Policiais do Batalhão de Choque da Polícia Militar após uma ação no bairro. O caso foi revelado pelo Jornal Midiamax nesta quarta-feira (22).

"Logo o MP que deveria ser um parceiro nosso. Eu vou convocar uma reunião extraordinária do Conselho de Segurança e vamos convidar um membro do Ministério Público caso queira participar", disse Felix.

Segundo Felix, o Conselho recebe denúncias diárias de moradores e em várias oportunidades ele pede o apoio do Batalhão de Choque. "Isso é normal porque na maioria das vezes as pessoas que possuem algo ilícito costumam esconder e não falam. E claro que você não vai tratar com beijinho nem flores, ainda mais um batalhão especializado e bem treinado que nem o Choque. Deixamos as portas abertas pra o batalhão de choque, que é parceiro", finaliza Felix.

MP pediu prisão de PMs após reclamação de traficantes

Policiais do Batalhão de Choque da Polícia Militar de Mato Grosso do Sul quase foram parar na cadeia e estão 'proibidos' de realizar o policiamento para segurança no Jardim Aeroporto e na Vila Popular, bairros da região oeste de Campo Grande. O pedido da prisão de PMs foi feito pelo Ministério Público Estadual de MS e vazou para moradores, que reclamam.

O caso começou quando os policiais realizaram abordagem a um casal de atuar no tráfico de drogas. Eles acabaram na casa da família, que acusou os policiais de abuso e agressão. Segundo o relato do casal, havia crianças na casa e os policiais do Choque foram violentos.

Assim, de suspeitos, os dois, com passagem por narcotráfico, viraram vítimas. Eles denunciaram o caso e o Ministério Público de Mato Grosso do Sul pediu a prisão dos policiais.

O juízo da Auditoria Militar não aceitou o pedido da promotoria para colocar os policiais atrás das grades, mas aplicou medidas que restringem temporariamente a ação dos quatro servidores públicos estaduais da segurança pública na região.

Foi o suficiente para que as 'vítimas', segundo relatos de comerciantes que atuam nas imediações, supostamente comentassem a 'blindagem', em tom de comemoração. A decisão judicial impede os quatro policiais militares do Batalhão de Choque de realizarem policiamento ostensivo nas imediações do Jardim Aeroporto e da Vila Popular.

ACS se reunirá com associação do MPMS 

O presidente da ACS PMBM MS (Associação de Cabos e Soldados da Polícia Militar e Bombeiro Militar de Mato Grosso do Sul), Fabrício de Carvalho Moura, irá se reunir com membros da ASMMP (Associação Sul-Mato-Grossense dos Membros do Ministério Público) devido à reportagem publicada pelo Midiamax, a respeito do pedido de prisão contra policiais militares, caso realizem policiamento no Jardim Aeroporto e na Vila Popular, bairros da região oeste de Campo Grande. Presidente da ACS publicou nas que haverá a reunião.

Moradores revoltados com decisão sobre segurança

O polêmico pedido de prisão de policiais militares do Batalhão de Choque solicitado pelo MPMS (Ministério Público Estadual) revoltou campo-grandenses. Nas redes sociais, internautas criticam a ação da promotoria que atuou no caso e fazem até campanha em favor da atuação dos PMs.

A situação começou quando os policiais realizaram abordagem a um casal suspeito de atuar no tráfico de drogas. Eles acabaram na casa da família, que acusou os policiais de abuso e agressão. Segundo o relato do casal, havia crianças na casa e os policiais do Choque foram violentos.

Assim, de suspeitos, os dois, que têm passagem por narcotráfico, viraram vítimas. Eles denunciaram o caso e o Ministério Público de Mato Grosso do Sul pediu a prisão dos policiais.

Entre os comentários de leitores na página do Midiamax no Facebook, sobra revolta e indignação. Confira abaixo algumas opiniões dos leitores:

Ta de sacanagem né MP??? Agora traficante tem razão. E o fim do mundo msm.

Só faltava essa... Batalhão de choque sempre Benvindo em nosso bairro!! Fim do tráfico!!

Quem está contra os PMS estão a favor dos BANDIDOS. Sempre por de trás tem os BANDIDOS, temos como exemplo o STF, cabeça de ovo ex advogado do PCC.

Daqui a pouco , a população vai ter que ligar pro Chapolin Colorado, porque 190 não vai mas poder atender.... E de lascar

Daqui a pouco vão ser os bandidos que vão prender a polícia.

A indignação também é compartilhada no perfil do Instagram do Midiamax, confira os comentários abaixo:

Quando fizerem algo contra alguém do MP pede p eles pedirem socorro p traficantes ...

A q ponto chegamos, a pessoa se dedica passa anos treinando, pra quando chegar no dia de exercer a profissão vem uns f... e faz isso. A q ponto chegamos ! Se já com eles está perigoso imagina sem a segurança correta

Está tudo trocado mesmo, agora quem está querendo mandar são os traficantes, policiamento nos bairros já não servem para nada, é o fim mesmo

Veja também

Depacs serão subordinadas à Delegacia Regional e ao DPI

Últimas notícias