Polícia

Carro de diretora sequestrada dentro de escola é encontrado na Bolívia

Um dos bandidos acabou preso e dois continuam foragidos

Thatiana Melo Publicado em 07/01/2022, às 07h56

None
(Foto: Diário Corumbaense)

O veículo Tracker, de cor azul, da diretora-adjunta de uma escola municipal de Corumbá, a 444 quilômetros de Campo Grande, acabou sendo encontrado abandonado em um bairro afastado da Bolívia. A diretora e o secretário da escola foram sequestrados de dentro da unidade escolar na tarde de quarta-feira (5). 

O carro foi localizado pela polícia boliviana, que foi avisada pelos policiais brasileiros da possibilidade do veículo ter sido levado para o país. Os policiais encontraram o carro nessa quinta (6), em um campo de futebol abandonado, no bairro Conavi, local afastado da cidade fronteiriça de Puerto Suárez, segundo o site Diário Corumbaense. 

Um dos bandidos acabou preso, e segundo o delegado, Luca Venditto, o autor preso teria dito que havia recebido dinheiro pelo serviço. “Ele foi preso na rua Monte Castelo, bairro Popular Velha quase em frente à sede de uma rádio. Não foi ouvido, mas em entrevista formal confessou participação no crime. Ele falou que receberia um dinheiro por conta do ‘serviço’. Temos imagens de segurança que podem ajudar”, explicou o delegado.

O sequestro

O sequestro seguido de roubo ocorreu por volta das 16 horas de quarta (5), no momento em que a diretora estava na escola junto com o secretário, exercendo as funções administrativas. Os três bandidos armados com pistolas invadiram a unidade escolar, que fica no bairro Cristo Redentor, exigindo as chaves do carro da vítima.

A diretora e o secretário tiveram as mãos amarradas, a mulher foi colocada no banco traseiro e o secretário no porta-malas do carro. Os bandidos levaram as vítimas para uma casa, que era grande e tinha piscina, segundo a diretora. As vítimas foram colocadas dentro do banheiro.

Segundo a diretora, os bandidos conversavam com uma pessoa pelo telefone e ela acredita que estavam negociando seu carro que pode ter sido levado para a Bolívia. Após três horas, os criminosos voltaram, colocaram as vítimas em outro carro e as deixaram em uma ribanceira à beira da estrada. Um motorista de aplicativo que passava pelo local socorreu as vítimas, que foram levadas até a delegacia.

Jornal Midiamax