Busca por pistoleiros de chacina em MS mobiliza policiais nos dois lados da fronteira

Forças paraguaias também acionaram efetivos para ajudar nas investigações
| 06/04/2022
- 12:04
Busca por pistoleiros de chacina em MS mobiliza policiais nos dois lados da fronteira
Pistoleiros incendiaram o carro usado no crime (Foto: Reprodução Redes Sociais)

O ataque a um salão de festas em Ponta Porã, a 346 quilômetros de Campo Grande, na noite desta terça-feira que resultou em quatro mortes, segue sem evidências do que poderia ter motivado os crimes. Entretanto a chacina mobilizou também os agentes da Força Nacional do Paraguai.

Desde as primeiras informações sobre o ataque ocorrido no lado brasileiro, além das ações da Polícia Militar e Polícia Civil, com o apoio da (Delegacia Especializada de Repressão aos Crimes da Fronteira), agentes da Polícia Nacional acompanham o caso.

Segundo informações veiculadas na FM Urendey, o comissário, Alcides Cantero, da Polícia Nacional pediu relatórios sobre o ataque com o objetivo de mobilizar os agentes. Com a ajuda da Força Nacional, foi localizada a usada pelos pistoleiros.

“Estamos acompanhando bem de perto mais essa chacina. O que aconteceu do lado brasileiro é muito grave e vamos mobilizar nossas forças policiais para ajudar na localização desses criminosos”, explicou o comissário da Força Nacional.

Roupas camufladas

Testemunhas da chacina que acabou na morte de quatro pessoas em um salão de festas em Ponta Porã, a 346 quilômetros de Campo Grande, na noite dessa terça-feira (5), afirmaram que os pistoleiros usavam roupas camufladas das forças armadas do Paraguai.

Foram assassinados: Geovani Souza da Silva, de 29 anos, Josimar Cáceres de Oliveira, de 31 anos, Venâncio Cabreira, de 39 anos, e Luis Vareiro, de 27 anos, conhecido como ‘Chorão’. Todos estavam em uma festa de aniversário, quando os três pistoleiros chegaram em uma camionete Amarok, de cor branca.

Veja também

Vítima foi espancada até a morte e polícia procura suspeito de 33 anos

Últimas notícias