Acusado de matar a namorada um dia após postar foto com ela é condenado a 18 anos

Jovem foi morta a tiros em uma possível emboscada
| 27/05/2022
- 14:39
Acusado de matar a namorada um dia após postar foto com ela é condenado a 18 anos
Hércules foi condenado - Foto: Henrique Arakaki, Midiamax

Nesta sexta-feira (27), Hércules Alves de Souza, 22 anos, foi condenado a 18 anos e 8 meses de prisão pelo assassinato da namorada Yasmin Beatriz Almeida Guedes. A jovem tinha 18 anos quando foi morta com 10 tiros naquele dia 29 de setembro de 2020, no Jardim Colibri, em Campo Grande.

A defesa alegou negativa de autoria, mas o Conselho de Sentença decidiu pela condenação de Hércules pelo feminicídio qualificado pela surpresa. Foi afastada tese de motivo torpe. Na sentença, o juiz Aluizio Pereira dos Santos, da 2ª Vara do Tribunal do Júri considerou os maus antecedentes do réu.

Conforme o magistrado, Hércules já foi condenado por 5 roubos. Ao todo, ele foi sentenciado a 18 anos e 8 meses, em regime fechado.

Postou foto antes de assassinar namorada

Hércules negou ser o autor do crime e, de acordo com a defesa — feita pelo advogado Cairo Frazzão —, testemunhas-chaves da investigação não foram encontradas na fase policial e não foi colocado como prova o histórico de ligação do réu para a vítima.

Isso porque no dia do crime Yasmin estava com uma amiga quando recebeu ligação de Hércules e foi até ele após pedir corrida por um aplicativo. Quando se encontraram, Hércules atirou várias vezes contra a vítima, que foi atingida por 10 disparos na cabeça, tórax e braços.

A delegada responsável pelas investigação à época na Deam (Delegacia Especializada no Atendimento à Mulher), Anne Karine, foi ouvida como testemunha, além de uma amiga de Yasmin, que disse que a vítima havia relatado que saiu no dia 29 para encontrar com o ex-namorado, Hércules.

A família de Yasmin é do e a vítima tinha sido convencida por Hércules a vir para Campo Grande visitar ele e sua amiga, com quem atualmente estava morando. Hércules estava na Penitenciária da Gameleira e foragido até o dia em que foi preso como autor do feminicídio. Ao sair, teria pedido para que Yasmin viesse à Campo Grande e dito que pagaria as passagens.

Já a defesa do réu sustentou a tese de que a vítima “ficava com várias pessoas” e que Hércules foi preso “porque estava evadido da Gameleira, e seria preso antes ou depois, quando fosse encontrado”.

A promotora Luciana do Amaral Rabelo, por sua vez, afirmou que Hércules havia mandado mensagem para Yasmin pedindo “vem aqui, vamos dormir juntos, vamos voltar”, e a vítima “amava tanto ele que não acreditava que iria matá-la”.

Segundo argumento da promotoria, ele teria postado uma foto nas redes sociais com Yasmin um dia antes do crime.

O crime

A denúncia foi apresentada pelo MPMS (Ministério Público de Mato Grosso do Sul) em 19 de março e recebida no mesmo dia. Conforme a acusação, o crime aconteceu por volta das 0h45 daquele dia 29 de setembro de 2020. Ainda segundo a peça, Hércules e Yasmin tiveram um relacionamento por aproximadamente um ano.

Neste período, eles terminaram e voltaram algumas vezes e, no dia do crime, estavam mantendo o relacionamento, mas não publicamente. Durante o relacionamento conturbado, Hércules já tinha praticado violência doméstica contra a vítima, inclusive cortando o cabelo dela em uma das ocasiões.

Após os fatos, Hércules fugiu e só foi encontrado e preso no dia 21 de fevereiro de 2021. Para o MPMS, o acusado cometeu feminicídio qualificado por motivo torpe, já que a ‘desculpa’ seria o ciúme exacerbado que sentia da vítima. Também agiu com recurso que dificultou a defesa de Yasmin. Após a prisão, Hércules não quis dar declarações no interrogatório, ficando em silêncio.

Veja também

Ela pediu a revogação da medida protetiva que tinha contra o acusado

Últimas notícias